"Vi que o avião não ia atravessar a montanha"

 "Vi que o avião não ia atravessar a montanha"

 

Lusa/AO online   Internacional   24 de Mar de 2015, 14:26

Uma testemunha que viu o avião da companhia Germanwings pouco antes de se despenhar afirmou à agência noticiosa Efe disse ter ficado muito surpreendido pelo facto de o aparelho voar a baixa altitude numa zona muito montanhosa.

 

"Apenas estranhei o facto de que a essa altitude [o avião] não conseguiria atravessar a montanha", indicou por telefone Sébastien Giroux, responsável por uma serralharia no município de Prads-Haute-Bléone.

O avião despenhou-se perto da localidade de Barcelonnette, na região de Digne-les-Bains, no sul de França.

Giroux disse que não viu fumo nem ouviu ruídos estranhos antes da queda do aparelho, um Airbus A320 da companhia alemã Germanwings com 150 pessoas a bordo e que efetuava a rota entre Barcelona (Catalunha, Espanha) e Düsseldorf (Alemanha).

A testemunha referiu que não presenciou o momento exato do acidente, que ocorreu às 10:47 hora local (9:47 horas em Lisboa), e precisou que também não escutou o impacto, que ocorreu a cerca de dez quilómetros do local onde se encontrava.

A Guarda nacional francesa (Gendarmerie), através da sua conta oficial na rede social Twitter, pediu hoje a todos os habitantes da região que não se aproximem do local do impacto, para evitar o bloqueamento das estradas e permitir o rápido acesso das equipas de resgate.

Para além de ter ativado o plano SATER, um dispositivo específico em caso de acidente com aviões, o Executivo francês anunciou uma célula interministerial de crise que inclui os ministros do Interior, Bernard Cazeneuve, e da Ecologia, Ségolène Royal, e o secretário de Estado dos Transportes, Alain Vidalies, que ainda hoje se devem deslocar à zona.

Previamente, Vidalies informou que o avião se despenhou numa zona montanhosa. "Despenhou-se no maciço de Estrop. É uma zona de neve, inacessível para veículos, mas que pôde ser sobrevoada por helicópteros", disse.

Segundo o responsável, "as condições meteorológicas não eram especialmente más" no momento do acidente e o aparelho não era especialmente antigo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.