Venda do Banif é a "melhor solução possível"

Venda do Banif  é a "melhor solução possível"

 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Dez de 2015, 12:54

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje que a venda do Banif ao Santander é a melhor solução possível e considerou que se esteve

“Na perspetiva do Governo dos Açores esta solução que foi alcançada é a solução que, dentro da situação a que se deixou chegar este assunto, é a melhor solução possível”, afirmou Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

O governante defendeu que a solução “protege as famílias e as empresas nos seus depósitos, protege a função que o banco tem no sistema bancário aqui nos Açores, nomeadamente no financiamento à economia”, protegendo igualmente “os trabalhadores do banco”.

“Estes três aspetos marcam a diferença entre uma solução que seria catastrófica para a economia da região e uma solução que, apesar de tudo, salvaguarda estes três elementos”, acrescentou.

“No contacto que hoje tive com o dr. António Vieira Monteiro [presidente da comissão executiva do banco Santander Totta] ele teve oportunidade de me transmitir que na abordagem que o banco Santander Totta faz em relação à situação dos Açores não estão previstas alterações do ponto de vista de trabalhadores”, adiantou.

O governante socialista realçou o “empenho” e a “liderança política” que o primeiro-ministro, António Costa, teve neste processo, ao defender “a importância que uma entidade bancária como o Banif tem para uma economia” como a dos Açores, onde conta com 31 agências e 211 colaboradores.

Para o governante, esteve-se “à beira do precipício neste assunto, exatamente pelo estado a que se deixou chegar este processo”, classificando como muita “oportuna e necessária” a iniciativa do grupo parlamentar do PS na Assembleia da República de proceder a um inquérito que “permita esclarecer como é que se deixou chegar este assunto ao ponto a que se deixou chegar”.

“Estou convencido de que se esse assunto tivesse sido tratado mais cedo, nomeadamente quando o assunto foi sendo alvo de alertas por parte de outras instituições (…), não se teria chegado a esse ponto”, declarou, apontando que “quem deixou chegar esse assunto a este estado foi o anterior governo da República”.

Vasco Cordeiro manifestou ainda “inteira disponibilidade” para colaborar com o Santander no sentido de que, “de forma cada vez mais funcional, o banco possa cumprir” na região “o papel que a sua dimensão, a sua importância na economia lhe confere”, notando que o Banif tem 37% em termos de depósitos e 31% em termos de empréstimos.

O Governo e o Banco de Portugal decidiram a venda da atividade do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos ao Banco Santander Totta por 150 milhões de euros, anunciou o Banco de Portugal em comunicado no domingo.

A alienação foi tomada "no contexto de uma medida de resolução" pelas "imposições das instituições europeias e inviabilização da venda voluntária do Banif", segundo o comunicado.

A operação "envolve um apoio público estimado em 2.255 milhões de euros que visam cobrir contingências futuras, dos quais 489 milhões de euros pelo Fundo de Resolução e 1.766 milhões diretamente do Estado", disse o banco central, garantindo que esta solução "é a que melhor protege a estabilidade do sistema financeiro português".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.