Venda de gasóleo colorido e marcado nos Açores adiada para junho

Venda de gasóleo colorido e marcado nos Açores adiada para junho

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Abr de 2016, 13:48

A venda de gasóleo colorido e marcado, destinado à agricultura e pescas, nos Açores, prevista para se iniciar hoje, só começa a partir de 01 de junho, devido a atrasos nas adaptações e equipamentos necessários, foi hoje anunciado.

“Inicialmente, o prazo estava fixado para hoje, mas entendemos prorrogar, porque no que respeita à logística de comercialização do gasóleo colorido e marcado surgiram fatores imprevistos que condicionaram que as companhias e as empresas detentoras dos parques de combustível tivessem nesta altura todas as adaptações e todos os equipamentos necessários”, afirmou o presidente do conselho diretivo do Fundo Regional de Coesão, João Filipe, em conferência de imprensa.

O Governo dos Açores anunciou em dezembro do ano passado que o gasóleo agrícola e das pescas ia passar a ser marcado e colorido, para combater o uso indevido.

Já em janeiro, uma resolução do Conselho do Governo, determinava que as companhias petrolíferas proprietárias de postos de combustíveis, assim como as empresas detentoras dos parques de armazenagem de combustíveis, tinham um prazo máximo de 90 dias para fazerem as adaptações necessárias.

O presidente do Fundo Regional de Coesão disse hoje, em conferência de imprensa, que este prazo de três meses foi "consensual" para que as alterações se processassem "dentro da normalidade", mas surgiram “fatores imponderáveis e imprevisíveis” relacionados com "atrasos de entrega de encomendas de equipamentos e de outros bens que permitiriam a adaptação dos postos de combustíveis e dos parques neste prazo fixado".

João Filipe frisou que este é um processo "novo para todos", considerando que não se transita de um sistema de abastecimento de combustíveis que "tem especificidades técnicas muito próprias para outro sem que possam surgir determinadas situações não previstas".

"É um processo cuja sincronização acaba por ser um fator chave, porque é necessário que, em todas as ilhas, todas as estruturas estejam preparadas para que (a comercialização) arranque no mesmo dia", disse o responsável, acrescentando foi necessário ter em conta "as dificuldades que surgiram relativamente às características de determinados postos de combustíveis em cada ilha".

Segundo João Filipe, as companhias solicitaram esta prorrogação de prazo, tendo os motivos sido analisados e, por "serem questões tecnicamente não previstas", foi decidido "conceder esta prorrogação" para que a comercialização deste gasóleo comece em simultâneo em todas as ilhas.

Com a introdução do gasóleo marcado e colorido, o Governo Regional dos Açores pretende "reforçar o controlo deste benefício, combatendo a utilização indevida do mesmo".

Segundo o executivo, o gasóleo colorido e marcado possui as mesmas características do gasóleo rodoviário, distinguindo-se na coloração (verde) e pelo facto de possuir um aditivo de natureza química (traçador) que permite a sua fácil deteção, mesmo quando previamente descorado.

Em 2014, uma investigação da GNR permitiu detetar fraudes na utilização do gasóleo agrícola no arquipélago dos Açores de, pelo menos, três milhões de euros.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.