Vaticano terá novo órgão consultivo só composto por mulheres

Vaticano terá novo órgão consultivo só composto por mulheres

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   7 de Mar de 2017, 17:17

O Vaticano, muitas vezes criticado pela sub-representação do sexo feminino, apresentou um novo órgão consultivo que será composto exclusivamente por mulheres, de várias nacionalidades e de confissões religiosas diferentes.

O anúncio aconteceu na véspera do Dia Internacional da Mulher, assinalado a 08 de março.

O cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, anunciou no Vaticano que este novo órgão vai integrar um grupo de 37 mulheres, de diferentes nacionalidades e confissões religiosas.

“Até há pouco tempo, não tinha nenhuma mulher numa posição de liderança no seio do Conselho Pontifício para a Cultura”, admitiu o cardeal italiano.

Gianfranco Ravasi realçou, ainda, que esta medida não deve ser encarada como “cosmética”, garantindo que estas mulheres irão estar presentes em todas as atividades do seu ministério, contribuindo com o seu “olhar feminino”.

Na apresentação, o cardeal citou as palavras do escritor britânico de origem polaca Joseph Conrad: “É terrivelmente difícil ser mulher, porque é essencialmente ter de lidar com os homens”.

“E eu digo, lidar com padres é ainda pior”, acrescentou Gianfranco Ravasi.

Este órgão consultivo foi criado há dois anos, mas o Vaticano só hoje apresentou esta estrutura porque quis amadurecer a ideia. O órgão consultivo vai reunir-se três vezes por ano.

A académica Consuelo Corradi foi a escolhida para coordenar o novo órgão.

"A nossa ambição é falar sobre os temas universais a partir da perspetiva das mulheres", disse a académica.

Entre as mulheres que integram o órgão está também a teóloga iraniana muçulmana Shahrazad Houshmand.

Na quarta-feira, um colóquio sobre a contribuição das mulheres na paz no mundo vai decorrer, pelo quarto ano, no Vaticano. O evento pretende ouvir mulheres católicas que lutam contra a escravatura sexual ou que têm um papel ativo na educação de refugiados ou no acesso de cuidados para os mais pobres.

O papa Francisco e os vários elementos da Cúria (governo do Vaticano) não compareceram hoje na apresentação do novo órgão consultivo, porque estão a realizar um retiro espiritual numa pequena aldeia a sul de Roma.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.