Política

Vasco Cordeiro realça que "eleições só se ganham com votos"

Vasco Cordeiro realça que "eleições só se ganham com votos"

 

Lusa/AO online   Regional   5 de Out de 2012, 15:18

O candidato socialista à presidência do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, alertou que, apesar das

“Uma boa notícia não nos pode distrair do essencial. Não nos podemos esquecer do trabalho, do empenho e da dedicação que todos os socialistas e todos os que reconhecem que o projeto do PS é o melhor para os Açores têm que manter nesta campanha, porque só se ganham eleições através do voto”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava num comício nos Arrifes, arredores de Ponta Delgada, referindo-se a um estudo de opinião divulgado quinta-feira. Vasco Cordeiro, perante cerca de 1.500 pessoas que encheram o pavilhão da escola local, manifestou confiança numa “grande vitória do PS”, defendendo que “hoje mais do que nunca, é necessário defender a autonomia”. “A autonomia não se defende com um partido que há quatro meses dizia que estava solidário com (o que considerava ser) a tarefa patriótica que o Governo da República está a fazer ao país e que há um ano dizia que Passos Coelho era o primeiro-ministro que Portugal precisa e os Açores merecem”, frisou, numa referência a declarações da sua adversária social-democrata, Berta Cabral, líder regional do PSD/Açores. “Há quatro meses era só beijos e abraços, agora quase dizem que não se conhecem”, acrescentou. No seu discurso, Vasco Cordeiro voltou a críticar as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo da República, considerando que o executivo de Passos Coelho “está a dar cabo de um país e de uma sociedade”, com “mais impostos, menos apoio social e zero crescimento económico”. Num comício realizado no “coração da bacia leiteira de Ponta Delgada”, o candidato socialista dedicou especial atenção ao setor agrícola, recordando que é filho de uma família de agricultores e já exerceu o cargo de secretário regional da Agricultura. "A agricultura é, sem dúvida o pilar da economia açoriana e tem um contributo decisivo a dar aos Açores”, afirmou, apontando algumas medidas que considera necessárias neste setor, entre as quais a defesa do regime de quotas leiteiras, mas também a criação de condições para manter o setor competitivo caso este regime seja mesmo abolido, como está previsto. O reforço da competitividade das explorações agrícolas, a criação de condições para aumentar o rendimento do setor dos laticínios, a aposta na promoção da marca Açores e a redução dos custos de contexto foram outras das medidas apontadas, assim como a necessidade de um “bom aproveitamento” dos mecanismos europeus disponíveis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.