Vasco Cordeiro pede a ministra mais polícias para os Açores após agressões a cinco PSP

Vasco Cordeiro pede a ministra mais polícias para os Açores após agressões a cinco PSP

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Ago de 2015, 06:46

O presidente do Governo dos Açores pediu hoje à ministra da Administração Interna para reforçar de imediato o efetivo da PSP no arquipélago, sublinhando que as agressões a polícias nos últimos dias muito contribuíram para o alarme social.

Vasco Cordeiro enviou uma carta à ministra Anabela Rodrigues, a que a Lusa teve acesso, para lhe pedir que desenvolva "os seus melhores ofícios" para serem autorizados todos os 30 pedidos de transferência para as ilhas de polícias açorianos que estão colocados no continente, lembrando-lhe que faltam 200 polícias no quadro do Comando Regional da PSP dos Açores.

O presidente do executivo açoriano pede a intervenção da ministra "na sequência” de agressões a polícias no passado fim de semana, na ilha de São Miguel, que "quer pela gravidade, quer pela repercussão mediática muito contribuíram para o alarme social das populações".

Vasco Cordeiro lembra que quando esteve nos Açores, a 15 de maio, a ministra prometeu, no final de uma audiência com o presidente do executivo açoriano, um reforço do efetivo da PSP nos Açores.

"O Governo dos Açores não tem conhecimento que esse reforço esteja a realizar-se ou, sequer, em vias de se concretizar na sua plenitude", escreve Vasco Cordeiro, acrescentando que se forem autorizados os pedidos de transferência para a região que estão "pendentes", haverá um reforço "imediato" do Comando Regional da PSP e isso poderia contribuir, "decisivamente, para, a curto prazo, tranquilizar os açorianos e o corpo das forças de segurança na região", sem prejuízo de se continuar a trabalhar para, "na brevidade possível", preencher todo o quadro com os 200 polícias em falta.

Vasco Cordeiro destaca ainda que, tal como já transmitiu "pessoalmente" à ministra, este assunto "assume particular importância" devido ao aumento do turismo que está a registar-se no arquipélago.

O Sindicato Nacional da Polícia (Sinapol) revelou na segunda-feira que cinco elementos da PSP foram agredidos em São Miguel no último fim de semana, alguns com "extrema violência", e alertou para a falta de polícias no arquipélago.

Segundo o sindicato, "o caso mais grave" ocorreu nas Capelas, concelho de Ponta Delgada, onde um polícia foi agredido por várias pessoas que estavam a provocar desacatos, "caiu inanimado" no chão e foi depois novamente agredido com pontapés e murros. Um segundo elemento da PSP que tentou socorrer o colega foi também agredido.

Estes eram os dois únicos polícias que estavam de serviço na esquadra das Capelas, pelo que foram pedidos reforços a outros departamentos da ilha, mas vários tinham também falta de meios para enviar para o local.

O Sinapol destacou que o habitual, fora da cidade de Ponta Delgada, é as esquadras terem apenas dois elementos de serviço, o que obriga ao seu "encerramento constante" quando há ocorrências e os polícias são chamados. Por outro lado, é frequente que apenas um elemento da PSP faça patrulhas sozinho.

Estas situações de encerramento de esquadras, de forma recorrente, e de falta de meios humanos para as patrulhas nos Açores têm sido repetidamente denunciadas pelas estruturas sindicais, pelos responsáveis pela PSP no arquipélago e também pelas autoridades políticas regionais, algo que Vasco Cordeiro recorda a Anabela Rodrigues na carta que lhe enviou.

Fonte do executivo açoriano disse à Lusa que Vasco Cordeiro recebeu hoje, em audiência, a seu pedido, o segundo comandante regional da PSP nos Açores e a direção do Sinapol na região "com quem analisou a falta de efetivos" nos Açores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.