Vasco Cordeiro não quer que se perca a memória do comportamento do PSD e CDS

Vasco Cordeiro não quer que se perca a memória do comportamento do PSD e CDS

 

Lusa / AO online   Regional   5 de Out de 2016, 11:32

O líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, afirmou hoje que não se deve perder a memória sobre o comportamento do PSD e CDS nos últimos quatro anos, nem sobre a postura dos socialistas para ultrapassar a "tormenta" da crise económica.

 

Num jantar comício em Vila do Porto, ilha de Santa Maria, Vasco Cordeiro, cabeça de lista pelo círculo eleitoral de São Miguel e recandidato à presidência do Governo Regional, começou por dizer que “esta legislatura foi bem um teste à capacidade de resistência, não apenas das entidades públicas, mas também das famílias e das empresas”.

“Nós bem sabemos o que foram estes últimos quatro anos para as famílias e para as empresas dos Açores e isso deve ser também relembrado porque estamos a assistir nesta campanha eleitoral a uma situação muito curiosa”, declarou o candidato.

Referindo que “os que estiveram ao lado do anterior Governo da República do PSD e do CDS, os que estiveram ao lado no corte nas reformas, os que estiveram ao lado no corte dos salários, os que estiveram ao lado no corte dos apoios sociais, os que estiveram ao lado do aumento dos impostos, não se coíbem de hoje aqui na região serem os primeiros a exigir mais e mais e mais e mais”, Vasco Cordeiro perguntou “então onde é que eles estiveram durante os últimos quatro anos?”.

“Pela nossa parte sabemos bem onde estivemos”, destacou, explicando que o Governo Regional socialista neste período baixou os impostos e aumentou os apoios aos reformados, entre outros.

Aos presentes, Vasco Cordeiro disse que “isso deve também ser dito e ser relembrado neste momento para que não se perca a memória daquele que foi o comportamento durante quatro anos do PSD e do CDS dos Açores e daquela que foi a postura do Governo Regional do PS de estar ao lado das açorianas, açorianos e das famílias”.

“Cada vez mais se torna claro que enquanto uns se dedicam a atacar o PS, a criticar o PS, a falar mal dos últimos quatro anos, quando não vão a falar mal dos últimos 20 anos - que ainda é mais interessante –, quando alguns se dedicam a falar mal de tudo e de todos, aqui está o PS em nome do futuro dos Açores”, declarou, considerando esta “uma distinção fundamental” da campanha eleitoral entre o PS e aqueles que concorrem “parece contra apenas” este partido.

O candidato apontou depois as propostas no programa de governo para a ilha, como a rede atlântica de estações geodinâmicas e espaciais, a estação de rastreio da Agência Espacial Europeia ou a criação recente da área de testes de drones, “aproveitando as potencialidades do aeroporto”.

“Queremos mais e queremos sobretudo podermos transformar todo este conhecimento, toda esta investigação em criação de emprego e de riqueza para Santa Maria”, declarou, anunciando “a criação de um fundo de capital de risco que se dirija especialmente às áreas em que é possível e desejável passar da fase da investigação, do conhecimento, para a fase aplicada”.

Nas regionais de 2012, o PS conquistou dois mandatos e o PSD um dos três deste círculo eleitoral com apenas um município, Vila do Porto, liderado pelos social-democratas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.