Vasco Cordeiro insatisfeito com verbas da UE para projetos de transporte nas regiões europeias

Vasco Cordeiro insatisfeito com verbas da UE para projetos de transporte nas regiões europeias

 

LUSA/AO online   Regional   20 de Out de 2017, 14:41

O presidente do Governo dos Açores manifestou-se hoje insatisfeito por "quase todo o orçamento” do Mecanismo Conectar a Europa (CEF) para projetos de transporte estar esgotado com apenas quatro anos do atual quadro comunitário da UE

Segundo um comunicado hoje divulgado, ao falar na abertura da 45.ª Assembleia-Geral da Conferência das Regiões Periféricas Marítimas (CRPM) - organismo a que preside -, que está a decorrer em Helsínquia, na Finlândia, Vasco Cordeiro referiu não estar “satisfeito com a participação que foi deixada para as periferias e para as ilhas na implementação do Mecanismo Conectar a Europa (CEF) da União Europeia (UE)".

O líder do executivo açoriano acrescentou que "quase todo o orçamento alocado pelo CEF para projetos de transporte para o atual período de programação já foi esgotado”.

O CEF é um instrumento de Bruxelas que visa promover o crescimento, o emprego e a competitividade através de investimentos específicos em infraestruturas, incluindo a área dos transportes.

Vasco Cordeiro considerou que a intenção da Comissão Junker de reforçar a política de transportes no futuro “é uma boa notícia” para as regiões ultraperiféricas, como os Açores e a Madeira, mas alertou que isso não pode ser feito à custa da política da coesão destinada às regiões.

Para o líder do governo açoriano, as regiões “são essenciais para o processo de mudança do projeto europeu centrado no fortalecimento económico e na coesão económica e social entre todos os territórios”.

“A nossa mensagem para a Comissão, para os Estados-membros e para as restantes instituições é clara: as regiões ocupam um papel central no projeto europeu, elas são um poderoso ativo para a União Europeia e são a chave para muitas respostas aos desafios que a Europa enfrenta”, disse.

Vasco Cordeiro considerou, por outro lado, que a política de coesão da UE “está sob ameaça” face às novas prioridades da Comissão Europeia como a segurança e o terrorismo, as discussões sobre o Brexit e a reforma do orçamento comunitário.

O governante defende uma política de coesão pós-2020 "modernizada, que supere as disparidades regionais, impulsione o emprego e o crescimento e seja o cerne da estratégia da UE para uma Europa reformada”.

“Nós, como representantes das regiões da Europa, não devemos aceitar nada menos, os nossos cidadãos não aceitarão nada menos que isso”, afirmou Vasco Cordeiro, que foi eleito presidente da CRPM em setembro de 2014.

A CRPM congrega cerca de 160 regiões de 28 estados europeus num universo de 200 milhões de europeus.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.