Vasco Cordeiro destaca como prioridade coesão entre as ilhas

Vasco Cordeiro  destaca como prioridade coesão entre as ilhas

 

  Economia   3 de Out de 2012, 07:51

Vasco Cordeiro, candidato PS/Açores à presidência do Governo, destacou o reforço da coesão entre as ilhas como uma prioridade, frisando que não precisa de

“O reforço da coesão entre todas as ilhas dos Açores é algo que tem que estar bem presente na ação do Governo nos próximos quatro anos”, afirmou Vasco Cordeiro, no comício realizado esta noite na Sociedade Filarmónica União Praiense, na ilha Graciosa.

Para alcançar esse objetivo, Vasco Cordeiro defendeu a necessidade de existir emprego em cada uma das ilhas, mas também habitação que “valorize a malha urbana existente”, apoios para a fixação dos jovens, “criando condições para que tenham capacidade de realizar o futuro em cada uma das ilhas”, e transportes aéreos e marítimos, área onde admitiu que “ainda falta fazer muito”.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro assegurou que não tem necessidade de “acertar as contas com a história”.

“Honramos muito o legado de obras que os governos do PS desenvolveram ao longo de 16 anos”, frisou, acrescentando que a resposta a dar aos que “criticam sem perceber do que falam, aos que gostam das críticas destrutivas, é a esperança e a confiança no futuro”.

Para Vasco Cordeiro, “há todas as razões para ter confiança e esperança”, salientando, no que se refere à ilha Graciosa, que “existe um mar de oportunidades para ajudar a concretizar um futuro melhor”.

“É a alegria, o sentimento de esperança e de confiança que nos leva a estar aqui a falar de projetos e das ideias que queremos aplicar para fazer da Graciosa um sítio melhor”, afirmou.

Por seu lado, José Ávila, cabeça de lista do PS/Açores pelo círculo da Graciosa, depois de elencar uma enorme listagem de obra feita pelos executivos regionais socialistas nesta ilha do grupo Central, atacou o ex-presidente do PSD Luís Marques Mendes, que esteve recentemente na ilha numa ação de campanha dos sociais-democratas.

José Ávila falou de um “homenzinho de língua venenosa, capaz de atacar tudo e todos sem fazer um esforço para perceber do que falava”, acrescentando que “fez um frete aos anfitriões”.

Para o candidato socialista, depois da passagem de Marques Mendes pela Graciosa “virá certamente Pedro Passos Coelho, amigo de longa data de Berta Cabral”, acrescentando que o primeiro-ministro e presidente do PSD “virá como cobrador de impostos”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.