Vasco Cordeiro defende que verbas para universidades das ilhas devem ser reanalisadas

Vasco Cordeiro defende que verbas para universidades das ilhas devem ser reanalisadas

 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Fev de 2016, 15:31

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje que o Estado deve "reanalisar" o financiamento das universidades dos Açores e da Madeira, que se debatem com falta de verbas.

 

Vasco Cordeiro falava aos jornalistas no final de uma visita ao Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, na ilha do Faial, acompanhado do presidente do Governo da Madeira que está na região no âmbito de um encontro entre os dois executivos regionais.

"Essa é uma matéria que deve ser reanalisada do ponto de vista nacional", sustentou, adiantando já ter tido oportunidade de transmitir a sua posição ao primeiro-ministro, durante uma audiência em Lisboa.

O chefe do executivo açoriano disse esperar que “esse processo de análise seja iniciado o quanto antes e seja reforçada a consciência da importância que as universidades têm na promoção do desenvolvimento e da qualificação dos recursos humanos das regiões autónomas".

Sem nunca assumir a necessidade clara de um reforço de verbas para o financiamento da Universidade dos Açores, Vasco Cordeiro lembrou que aquela instituição é tutelada pelo Governo da República e que apresentou recentemente um estudo que indica que só os custos de "insularidade e tripolaridade" ascendem a 1,5 milhões de euros.

"O Governo Regional tem conhecimento desse estudo. Mas penso que também precisamos atender, nesse caso, à importância que as universidades, como a dos Açores e da Madeira, têm para todo o país, não apenas pelas áreas específicas de conhecimento a que se dedicam, mas sobretudo pelo facto de serem fatores essenciais de criação de condições de desenvolvimento e progresso dessas partes do território nacional", acrescentou Vasco Cordeiro.

Já Miguel Albuquerque, presidente do Governo da Madeira, entende ser possível "racionalizar os recursos" e procurar um reforço de fundos comunitários para fazer face às necessidades de financiamento das universidades insulares.

"Os recursos são sempre escassos, mas nós temos sempre de tentar suprir essas situações. Há fundos comunitários na área da investigação, na área do mar, e se trabalharmos em concertação, racionalizamos os recursos", defendeu o chefe do executivo madeirense.

No seu entender, será possível reforçar, por exemplo, a colaboração que já atualmente existe entre as universidades dos Açores e da Madeira em áreas como a do mar, das pescas e da investigação.

O presidente do Governo da Madeira termina hoje uma visita de três dias aos Açores, no âmbito de uma encontro que pretende reaproximar os dois arquipélagos atlânticos.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.