Vasco Cordeiro afirma que PSD/A tem falta de "credibilidade" para falar nas verbas da Universidade

Vasco Cordeiro afirma que PSD/A tem falta de "credibilidade" para falar nas verbas da Universidade

 

Lusa/AO online   Regional   17 de Dez de 2017, 18:12

O presidente do Governo açoriano e líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, acusou hoje o PSD local de não ter "credibilidade" para falar de falhas do executivo regional e também do central, sobre as verbas da Universidade da região.

O líder do PSD dos Açores, Duarte Freitas, já era líder social-democrata na região quando este partido, com deputados eleitos pelo arquipélago na Assembleia da República, aprovou "orçamentos que cortaram no financiamento da Universidade dos Açores", lembrou hoje Vasco Cordeiro, que falava na sessão de encerramento do XIII Congresso Regional da Juventude Socialista dos Açores, encontro tido no concelho da Ribeira Grande, ilha de São Miguel.

Criticar o atual executivo central e também regional é, portanto, "um exercício de legitimidade política, mas falta a legitimidade moral, falta a credibilidade", para "ser levada a sério essa posição, consoante o Governo que está na República, se dizer uma coisa ou outra", disse o líder do executivo açoriano.

Vasco Cordeiro abordava declarações de sábado do líder do PSD/Açores, que denunciou o que diz ser a existência de "falhas" nos compromissos assumidos pelo Governo da República em relação ao arquipélago, falhas essas "ignoradas" pelo Governo Regional: em causa está, por exemplo, o facto de o Governo liderado por António Costa ir, alegadamente, deixar de assumir o pagamento do empréstimo contraído pela Universidade dos Açores, em 2012, com vista à sua recuperação financeira.

"Se fosse noutro tempo, estas situações tinham causado enorme alarido, na região e no Governo Regional", lembrou o dirigente social-democrata, para quem o silêncio do executivo regional socialista, sobre estas matérias, se deve ao facto de o primeiro-ministro ser o socialista António Costa.

"Para o ano de 2018, segundo denúncia do senhor reitor, garantido que está o défice zero, o Governo da República parece que se recusa a pagar o compromisso em relação à Universidade dos Açores", lamentou Duarte Freitas, alertando para os prejuízos financeiros que tal decisão poderá comportar para a academia açoriana.

Na sua opinião, "é também muito estranho" o silêncio que se tem verificado por parte do executivo açoriano socialista sobre esta matéria.

A Universidade dos Açores declarou na sexta-feira que vai ter de assegurar 614 mil euros de encargos com a dívida de 2,7 milhões de euros que contraiu em 2012, e que o Governo da República, por “indisponibilidade financeira”, não pode assumir.

“Este ano, a reitora da Universidade dos Açores recebeu a informação, por parte do gabinete do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, de que não haveria disponibilidade financeira para qualquer tipo de transferência de verbas relativa às prestações de 2017”, disse aos jornalistas o reitor da Universidade, João Luís Gaspar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.