Vasco Cordeiro acusa PSD/Açores de "obsessão em reescrever a história"

Vasco Cordeiro acusa PSD/Açores de "obsessão em reescrever a história"

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Nov de 2014, 19:58

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, acusou o PSD na região de "absoluta incapacidade" em fazer aquilo que diz e de ter uma "obsessão em reescrever a história".

Vasco Cordeiro dedicou boa parte do seu discurso de encerramento do debate do Plano e Orçamento dos Açores para 2015, no plenário da Assembleia Legislativa da região, na Horta, ao maior partido da oposição no arquipélago, a quem dirigiu um rol de críticas.

"O que fica demonstrado neste debate é a absoluta incapacidade desse partido de fazer coincidir o que faz com o que diz. Ou seja, o que diz, não se escreve", afirmou Vasco Cordeiro, considerando que todas as propostas que o PSD levou esta semana à Horta são "cópias" de medidas já no terreno.

"Copia-se as medidas que o Governo já prevê e aumentam-se os complementos que o Governo do Partido Socialista já criou", disse Vasco Cordeiro, para quem, noutros casos, o PSD, nem sequer isso fez e "fugiu" e "desertou", como aconteceu no combate ao desemprego, o "principal desafio com que as açorianas e os açorianos estão confrontados", mas em relação ao qual os social-democratas não entregaram uma única proposta de alteração ao Plano e Orçamento.

Já a "preocupante obsessão em reescrever a história" do PSD revelou-se, segundo Vasco Cordeiro, na insistência do partido em dizer que o novo modelo das ligações aéreas ou a reposição do diferencial fiscal nos 30% são méritos seus, "procurando usurpar" o trabalho dos outros.

Vasco Cordeiro sublinhou que as novas ligações aéreas resultaram de um acordo entre o Governo Regional e o da República "após três longos anos à espera de decisões" de Lisboa, lamentando a "corrida para a fotografia" do presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, que se antecipou uns minutos no anúncio do entendimento entre os dois executivos.

Quanto aos impostos, vincou que "todos os partidos políticos" nos Açores defenderam o mesmo, mas "o único" que não concordou com a reposição do montante das transferências do Estado foi o PSD.

Quem tem competência para decidir sobre a redução dos impostos é o parlamento açoriano, "não é o Governo da República, não é a Assembleia da República", disse Vasco Cordeiro, que lembrou que os deputados do PSD/Açores em Lisboa votaram também contra, este ano, o acionamento da solidariedade nacional com a região na sequência dos danos causados pelo mau tempo em 2013.

"Essa farsa acaba aqui e acaba agora. É aqui que se denunciam e desmascaram as manobras desse PSD que é capaz de vender os interesses dos Açores por um prato de lentilhas de suposto ganho política", acusou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.