Utilização de armas químicas desencadeará "resposta imediata" afirma Macron

Utilização de armas químicas desencadeará "resposta imediata" afirma Macron

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   29 de Mai de 2017, 17:52

O Presidente francês, Emmanuel Macron, advertiu que a utilização de armas químicas na Síria desencadeará "uma resposta imediata", instando a uma

 

Macron falava numa conferência de imprensa com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, depois de o receber em Versalhes.

“Existe uma linha vermelha muito clara do nosso lado: a utilização de armas químicas por quem quer que seja”, frisou o chefe de Estado francês, acrescentando que “qualquer utilização de armas químicas será alvo de represálias e de uma resposta imediata, pelo menos da parte dos franceses”.

Emmanuel Macron expressou ainda o desejo de “reforçar a parceria com a Rússia” em matéria de luta contra o terrorismo na Síria.

“A nossa prioridade absoluta é a luta contra o terrorismo e a erradicação dos grupos terroristas e, em particular, do Daesh”, o acrónimo árabe que designa o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

“É o fio condutor da nossa ação na Síria e aquele em que eu vejo que, além do trabalho que estamos a fazer no âmbito da coligação, poderíamos reforçar a nossa parceria com a Rússia”, sustentou.

O novo Presidente francês pronunciou-se a favor de “uma transição democrática” na Síria, “mas preservando a existência de um Estado sírio”.

“Na região, os Estados falhados são uma ameaça para as nossas democracias e, vimo-lo uma e outra vez, levaram à proliferação dos grupos terroristas”, sublinhou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.