UPorto desenvolve produto para proteger mulheres contra transmissão sexual do VHI

UPorto desenvolve produto para proteger mulheres contra transmissão sexual do VHI

 

Lusa/AO online   Ciência   6 de Abr de 2016, 18:54

Investigadores da Universidade do Porto (UP) querem desenvolver um novo produto capaz de proteger as mulheres contra a transmissão sexual do VIH/SIDA, informou aquela instituição de Ensino Superior.

O novo produto vai ser possível ser desenvolvido porque um grupo de investigadores do Instituto de Engenharia Biomédica (INEB), integrado atualmente no Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto, ganhou esta semana uma bolsa de investigação no valor de 30 mil euros no âmbito do Programa Gilead GÉNESE 2015.

“Esta bolsa será aplicada num projeto inovador na área da nanomedicina, do qual se espera que resulte um novo produto capaz de proteger eficazmente as mulheres contra a transmissão sexual, por via vaginal, do VIH/SIDA”, lê-se na página da Internet da Universidade do Porto.

O projeto “Filmes vaginais contendo nanopartículas carregadas com fármacos como alternativa à profilaxia de pré exposição oral com tenofovir e emtricitabina” (dois fármacos antivirais), surge no seguimento dos vários trabalhos de aplicação da nanotecnologia à prevenção da transmissão sexual do VIH e que têm sido desenvolvidos pelo grupo de investigação do INEB.

“O desenvolvimento deste tipo de produtos constitui uma abordagem inovadora e fundamental na prevenção do VIH/SIDA”, destaca Bruno Sarmento, líder da investigação científica galardoada, para quem o apoio do Programa Gilead Génese é “decisivo” na concretização do projeto inovador.

José Neves, um outro investigador, refere que o “reconhecimento” por parte de uma das mais importantes empresas farmacêuticas no âmbito da terapêutica do VIH/SIDA é um “importante estímulo à nossa investigação na área”.

O Programa Gilead Génese foi criado em 2013 pela empresa farmacêutica Gilead Sciences com o objetivo de incentivar a investigação, a produção de conhecimento, o desenvolvimento científico, a geração de dados e a implementação de boas práticas de acompanhamento dos doentes em áreas terapêuticas como a fibrose quística, hemato-oncologia com enfoque nas doenças linfoproliferativas, hepatites virais crónicas B e/ou C e infeção por VIH/SIDA.

A edição deste ano contou com o Alto Patrocínio do Presidente da República e premiou um total de 13 projetos a nível nacional.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.