Universidades e politécnicos satisfeitos com aumento de alunos


 

AO/Lusa   Nacional   11 de Set de 2016, 12:23

Universidades e politécnicos públicos afirmaram estar satisfeitos com o aumento do número de novos alunos no ensino superior, na 1.ª fase deste ano, com os politécnicos a sublinharem o seu crescimento pelo 3.º ano consecutivo.

 

“O ensino politécnico cresce pelo 3.º ano consecutivo, e cresce o número de estudantes que escolhem os politécnicos em primeira opção. Isso para nós é muito importante e significativo, deixa-nos muito satisfeitos, porque significa confiança no sistema”, disse o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Joaquim Mourato, aos jornalistas, num encontro sobre os resultados da 1.ª fase do concurso nacional de acesso, organizado pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, que decorreu na sexta-feira em Lisboa.

O CCISP sublinha não só o crescimento de estudantes que procuram politécnicos em primeira opção – 14.188, mais 408 do que em 2015 –, mas também o facto de o aumento de 3,9% de colocados neste subsistema, este ano, ficar acima do aumento global de 2,1% (nas universidades e politécnicos).

Este ano, a 1.ª fase do concurso nacional de acesso colocou 15.922 estudantes nos institutos politécnicos, mais 593 do que em 2015.

“Os portugueses sabem que o ensino superior é um investimento com retorno”, disse Mourato, que entende que este “é o caminho para que tenhamos crescimento e desenvolvimento sustentado”.

Do lado das universidades, o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Cunha, considerou como uma “nota positiva” o maior número de entradas no ensino superior público, o que deixa as instituições “muito satisfeitas”.

O ministro que tutela o ensino superior, Manuel Heitor, sublinhou o aumento de jovens a querer ingressar no ensino superior, mas disse que não chega.

“Temos de estudar ainda muito mais”, afirmou.

A 1.ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público colocou 42.958 novos alunos nas universidades e politécnicos, um aumento de 2,1% em relação à mesma fase em 2015, segundo dados da DGES.

Os quase 43 mil colocados em 2016, comparados com os 42.068 do ano anterior, traduz-se em mais 890 estudantes que conseguem lugar na 1.ªfase, face a 2015. Este ano, houve, na 1.ª fase, mais 133 vagas a concurso do que em 2015.

Os resultados da 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior estão desde hoje disponíveis em www.dges.mctes.pt.

A 2.ª fase do concurso decorre de 12 a 23 de setembro, para os candidatos que não conseguiram lugar na 1.ª fase, para colocados que queiram mudar de curso ou instituição.

Os resultados da 2.ª fase serão divulgados a 29 de setembro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.