Unileite aumenta produção de 10 milhões de litros de leite em 2017

Unileite aumenta produção de 10 milhões de litros de leite em 2017

 

Lusa/AO online   Regional   23 de Nov de 2017, 19:01

O administrador da União das Cooperativas Agrícolas de Laticínios da Ilha de São Miguel (Unileite), Gil Oliveira, adiantou esta quinta-feira que aquela fábrica registou este ano "um aumento de 10 milhões de litros de leite".


"A Unileite, nos últimos anos, tem recolhido à volta de 190 milhões [de litros de leite] e vendia grande parte à Prolacto (industria de leite e derivados). Neste momento, a Prolacto está a absorver menos e a nossa fábrica está a trabalhar mais, por isso, temos um crescimento em 2017 de leite laborado na nossa fábrica de 10 milhões de litros", afirmou Gil Oliveira.

O administrador da Unileite e também da União de Cooperativas Produtoras de Laticínios dos Açores (Lactaçores) falava aos jornalistas à margem de uma reunião que decorreu em Ponta Delgada com o secretário regional da Agricultura para tentar saber "quais as verbas que estão disponíveis" para 2018.

"No caso da Unileite, temos um projeto na fábrica de nove milhões de euros que está em execução e também temos o projeto do soro que é de quatro milhões de euros, que está mesmo no fim, e que já estamos a começar a laborar. Também temos o adiantamento aos produtores de leite dos subsídios que já estamos a preparar para 2018 e pretendemos também saber da parte do senhor secretário como se irá proceder", sublinhou o industrial.

Segundo Gil Oliveira, o "aumento de produção" acompanha também uma maior "exportação", sobretudo de "produtos de valor acrescentado" como é o caso "do queijo de são Jorge" ou do leite "Nova Açores".

"A exportação da Lactaçor anda à volta dos 10% da sua faturação, já fica bastante interessante para a nossa faturação geral e também são mercados que estão em crescimento e estão também a absorver bem os produtos dos Açores", disse.

O responsável por uma das maiores fábricas de laticínios dos Açores (Unileite) admite que tem por objetivo o "crescimento de exportações" para mercados estrangeiros.

"Estados Unidos, no caso do queijo de São Jorge, tem sido um mercado com bons crescimentos. No caso do leite, Espanha e também um pouco para Angola e Moçambique, temos vindo a crescer nesses mercados e é bem notório porque este ano até vamos embalar muito mais leite", disse.

Depois do grupo de laticínios BEL ter admitido na semana passada que quer iniciar no próximo ano um projeto-piloto de produção de leite biológico nos Açores, numa aposta contínua na valorização daquele produto açoriano, também o responsável pela Unileite não exclui essa hipótese.

"O leite biológico é um produto que a nível europeu e mundial começa a ter grandes procuras, por isso, a Unileite nunca põe de parte essa hipóteses. Estamos a preparar o plano para 2018 e não sabemos o que vai acontecer, também se costuma dizer que o segredo é a alma do negócio", disse.

Na ocasião, o secretário regional da Agricultura anunciou "meio milhão de euros" para o desenvolvimento de novos produtos e apoio a projetos inovadores no setor agrícola.

"Em janeiro vamos abrir um período de candidaturas no âmbito do Pró-Rural, como uma dotação de meio milhão de euros para apresentação de projetos inovadores para desenvolvimento de novos produtos no âmbito do setor agrícola", disse João Ponte.

Segundo o governante, podem candidatar-se a este apoio "pessoas singulares ou coletivas, micro, pequenas e médias empresas dedicadas à produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas".

Os Açores, com 2,5% do território nacional, produzem cerca de 30% do leite do país e 50% do queijo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.