União das Misericórdias lembra situação social frágil do país


 

Lusa/AO online   Economia   30 de Set de 2010, 12:28

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP) vê com “muita preocupação” os cortes nos apoios sociais apresentados na quarta-feira pelo Governo, lembrando que o país já vive uma situação social frágil.
“Como todos sabemos a situação social no país é muito frágil. A União das Misericórdias Portuguesas vê com muita preocupação esses cortes”, afirmou Manuel Lemos.

Por outro lado, reconhece que Portugal vive uma situação económico-financeira muito grave, mas espera que “no momento das opções futuras, esses aspectos sejam tomados em consideração”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.