Mundial2014

Uma hora de oportunidades perdidas para meia com três golos

Uma hora de oportunidades perdidas para meia com três golos

 

LUSA / Ao online   Futebol   12 de Set de 2012, 08:17

Portugal precisou de pouco mais de uma hora - e um número incontável de oportunidades - para marcar o primeiro dos três golos com que venceu o Azerbaijão, em jogo do Grupo F de qualificação para o Mundial2014 de futebol.

Silvestre Varela, que inaugurou o marcador aos 63 minutos, uns segundos após render Miguel Veloso, voltou a funcionar como talismã da equipa das “quinas”, que soma agora seis pontos no agrupamento, liderando-o a par com a Rússia.

Paulo Bento apostou no mesmo “onze” com que iniciou a partida com o Luxemburgo (2-1), na sexta-feira, que lhe garantiu circulação rápida de bola e muita iniciativa ofensiva perante um conjunto que não escondeu a sua exclusiva intenção de "murar" o mais possível o seu reduto.

Tanto mais - ou tanto menos, melhor dizendo - que o guarda-redes Rui Patrício foi chamado a intervir uma única vez.

O jogou ficou marcado por um autêntico festival de oportunidades perdidas, seis das quais "esbarraram" nos ferros da baliza contrária: duas por Moutinho, outras tantas por Hélder Postiga, uma por Cristiano Ronaldo e outra por Fábio Coentrão.

Raul Meireles, aos 12 minutos, e João Pereira, aos 17, foram os primeiros a testar os reflexos do guardião azeri

Dois minutos depois, com os portugueses completamente instalados na intermediária adversária, Cristiano Ronaldo conseguiu fugir à marcação e, deambulando pela direita, encontrou Postiga no coração da área, mas o seu remate saiu direto à barra.

O metal da baliza azeri voltou a tremer mais duas vezes nas jogadas seguintes, com dois "disparos" de João Moutinho, o primeiro ainda desviado pelo guarda-redes e o segundo "emendado" por Postiga.

Os azeris tentaram, então, estender o seu jogo para áreas pouco exploradas até então, mas, aos 37 minutos, Hélder Postiga falhou o alvo por milímetros e por indevida opção técnica, optando por ir de cabeça ao chão, após livre na esquerda, desviado por Bruno Alves.

Já no período de descontos, o avançado do Saragoça protagonizou um lance de excelência, fintando três adversários, mas acertou no poste direito de Agayev, que viu, logo a seguir, Raul Meireles isolado na sua frente, mas não deu a melhor sequência ao lance.

Bruno Alves, que celebrou a sua 50.ª internacionalização, abriu as "hostilidades" logo no reatamento, mas para nova defesa do guardião azeri, e, à passagem do 51.º minuto, foi a vez de Cristiano Ronaldo enviar a bola ao poste.

Aos 63 minutos, depois de uma sucessão de falhanços na área de rigor, Paulo Bento trocou o médio defensivo Miguel Veloso pelo extremo Silvestre Varela, e o jogador do FC Porto apenas precisou de cerca de 20 segundos para aproveitar da melhor forma uma bola perdida na área, rematando com sucesso.

O campo mantinha-se "inclinado" para a defesa azeri e, aos 72 minutos, foi a vez de Coentrão enviar a bola ao poste, após mais uma jogada de envolvência na esquerda, em que Ronaldo ofereceu o que tinha tudo para ser um golo "de bandeja".

A menos de um quarto de hora do fim, Ruben Amorim rendeu Nani, talvez o jogador em noite de menos acerto, o que podia perfeitamente ter passado despercebido se dois dos seus remates não tivessem encontrado um guarda-redes muito atento.

A cinco minutos do fim, Postiga conseguiu o que muito tentou, aproveitando um amortecimento de Ronaldo, após cruzamento de Meireles na direita, deixando a bola pronta para o remate, à queima-roupa, do avançado português, que saiu logo a seguir, sob aplausos, para dar lugar a Eder.

E ainda houve tempo para mais um golo, assinado por Bruno Alves, aos 88 minutos, que acorreu a um canto e subiu mais alto que os centrais contrários, cabeceando com sucesso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.