Último balanço da tempestade nos Himalaias aponta para 43 mortos


 

Lusa/AO online   Internacional   18 de Out de 2014, 15:40

A tempestade de neve e a forte avalanche que atingiram, na terça-feira, uma zona dos Himalaias, já provocou 43 mortos, segundo o último balanço das autoridades do Nepal.

 

A atualização do número de mortes deve-se à descoberta de mais 11 corpos, nove nepaleses e dois japoneses, mas outras vítimas podem ainda estar debaixo da espessa camada de neve ou de gelo, resultante da tempestade, que surgiu em plena época de montanhismo nos Himalaias.

Entre os 43 mortos estão, pelo menos, 19 turistas estrangeiros, nomeadamente do Canadá, Israel, Polónia, Eslováquia, Índia e Vietnam.

Segundo a polícia, desde quarta-feira, 385 pessoas, dos quais 180 estrangeiros, foram retirados "sãos e salvos" das zonas afetadas pela violenta tempestade de neve.

"Estimamos que todos os outros caminhantes na região estão sãos e salvos", declarou Binay Acharya, da associação dos agentes de montanhismo do Nepal, que organiza as operações de salvamento.

"Não recebemos novos pedidos para salvamentos", acrescentou.

Esta catástrofe levou o primeiro-ministro do Nepal, Sushil Koirala, a anunciar a sua intenção de criar um sistema nacional de alerta.

O vice-presidente da associação das agências de montanhismo, Keshav Pandey, tinha declarado que o país não tem qualquer mecanismo de alerta que permita avisar acerca das más condições climatéricas.

Cerca de 90 mil estrangeiros percorreram estas montanhas em 2013, dos quais 20 mil cruzaram a zona Throung La, segundo dados do Projeto de Conservação da Área de Annapurna.

Após a passagem do ciclone Hudhud pela vizinha Índia – onde fez 24 mortos –, o Nepal viu-se atingido nos últimos dias por fortes chuvas e tempestades de neve pouco comuns na época alta de montanhismo nos Himalaias.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.