Açores/Eleições

UGT quer combate ao desemprego como prioridade para os próximos anos

Regional /
UGT/Açores

4460 visualizações   

A UGT/Açores manifestou hoje disponibilidade para com o futuro Governo Regional encontrar medidas que tornem o combate ao desemprego e a recuperação dos rendimentos dos trabalhadores prioridades para os próximos quatro anos.
 

 

“A UGT/Açores reafirma a sua agenda de preocupações sindicais para o próximo quadriénio, bem como a sua total e firme disponibilidade para, em diálogo e concertação social, encontrar e perspetivar medidas que tornem o combate ao desemprego e a recuperação dos rendimentos dos trabalhadores açorianos a prioridade das prioridades da ação do futuro executivo regional”, refere um comunicado da estrutura sindical.

No documento, a UGT/Açores expressa ainda preocupação pela abstenção registada nas eleições regionais de domingo, considerando que “demonstra elucidativamente que seis em cada dez açorianos continuam a não encontrar razões para confiar o seu voto quer ao Governo, quer à oposição”.

Para a UGT/Açores, esta situação “exige uma reflexão e ação consequente de todos os agentes políticos que permita a sua futura participação cívica sem a qual a democracia se torna inevitavelmente mais pobre”.

Realçando a forma “madura, serena e cívica” como decorreu o ato eleitoral, a organização sindical felicita também o líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que deverá ser de novo nomeado presidente do Governo Regional, e faz votos “para que a forma cordata, construtiva e dialogante com que se apresentou aos eleitores durante a campanha eleitoral constitua a marca deste seu mandato”.

O PS venceu no domingo as eleições legislativas regionais dos Açores, conquistando uma nova maioria absoluta ao conseguir eleger 30 dos 57 deputados da Assembleia Legislativa Regional.

O PSD conquistou 19 deputados, o CDS-PP quatro, o BE dois e o PCP-PEV e o PPM um deputado cada um.

Em relação às anteriores eleições, em 2012, os socialistas perdem um deputado tal como o PSD, enquanto o CDS-PP e o BE ganham um cada. O PCP-PEV e o PPM mantêm um deputado cada.

A abstenção atingiu 59,16%, um recorde em eleições regionais nos Açores. Em 2012, não foram às urnas 52,12% dos eleitores e em 2008 a taxa de abstenção foi de 53,34%.