Sindicatos

UGT diz que discurso de Cavaco faz diagnóstico importante mas não evita contradições

UGT diz que discurso de Cavaco faz diagnóstico importante mas não evita contradições

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Jan de 2010, 15:25

O secretário-geral da UGT, João Proença, considerou hoje que o discurso de Ano Novo do Presidente da República acerta no retrato à sociedade, mas alertou para as contradições entre a luta contra o desemprego e contra o endividamento externo.

"Há no discurso uma questão contraditória: a dívida externa e o desemprego", considerou João Proença, em declarações à agência Lusa. "As questões que têm a ver com a dívida externa exigem medidas contra-cíclicas, que terão efeitos de aumento do desemprego", acrescentou o secretário-geral da União Geral de Trabalhadores (UGT).  Dirigindo-se aos portugueses na tradicional mensagem de Ano Novo, o Presidente da República disse na sexta-feira que Portugal enfrenta uma "situação difícil" e alertou que "com este aumento da dívida externa e do desemprego (…) podemos caminhar para uma situação explosiva". João Proença referiu que Cavaco Silva "faz um diagnóstico importante da sociedade portuguesa e apela à necessidade do diálogo, um diálogo também social, que nos parece importante em relação ao futuro".  O secretário-geral da UGT destacou ainda que o discurso de Ano Novo "refere de forma clara que o Governo deve governar, mas também que deve governar de acordo com o programa de Governo."  Ainda nas questões económicas, João Proença concordou com a análise de Cavaco Silva de que o aumento da competitividade é uma das questões centrais que devem estar na base da economia portuguesa, mas afirmou que este aumento de competitividade "não pode ser sempre feito à custa do trabalhador".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.