UE toma novas medidas de apoio a produtores afectados por embargo russo

UE toma novas medidas de apoio a produtores afectados por embargo russo

 

Lusa/AO online   Economia   14 de Ago de 2014, 17:10

A Comissão Europeia vai tomar na próxima semana novas medidas excecionais para apoiar os produtores da União Europeia afetados pelo embargo russo aos produtos agroalimentares ocidentais, anunciou a CE.

 

As medidas, de estabilização dos mercados e de compensação dos produtores, deverão destinar-se a produtos como o pepino, a couve-flor, o pimento, o cogumelo e certos tipos de tomate, assim como a produtos perecíveis identificados como prioritários numa reunião em Bruxelas dos especialistas agrícolas da Comissão e dos 28 Estados membros, precisou uma fonte europeia.

No final desta primeira troca de pontos de vista sobre o impacto da decisão retaliatória russa, o comissário europeu para a agricultura, Dacian Ciolos, indicou que revelará as novas medidas “no início da próxima semana”, visando “frutos e legumes claramente em dificuldades”.

A Comissão já tinha decidido na segunda-feira dar um impulso ao sector dos pêssegos e nectarinas, cujas dificuldades devido ao mau tempo foram agravadas com o embargo decretado por um ano por Moscovo em represália pelas sanções europeias às suas violações da soberania da Ucrânia.

As medidas podem ser financiadas pelo fundo de reserva de mais de 420 milhões de euros de que a UE dispõe para fazer face a crises nos mercados agrícolas.

Para avaliar melhor as consequências do embargo russo, avaliadas segundo as primeiras estimativas em cerca de 5,2 mil milhões de exportações agrícolas, a UE vai criar um “mecanismo reforçado de vigilância dos mercados” e prevê contactos semanais com os Estados membros, indicou a Comissão num comunicado.

Trata-se de agir “passo a passo”, de acordo com a CE.

Segundo uma fonte europeia, “o plano A consiste em encontrar mercados alternativos”.

Para “tranquilizar os produtores” europeus, Ciolos sublinhou estar pronto para “propor medidas alargadas, se necessário”.

Uma nova reunião de avaliação dos prejuízos provocados pelo embargo russo, alargada aos especialistas comerciais da Comissão e dos 28, está marcada para hoje à noite.

O embargo russo diz respeito à carne de vaca, de porco e de frango, ao peixe, queijo, leite e frutos e legumes provenientes da UE, Estados Unidos, Austrália, Canadá e Noruega.

Em 2013, as exportações de produtos agrícolas europeus para a Rússia ascenderam a 11,8 mil milhões de euros, o que representa 9,9 por cento do total destas exportações.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.