UE nega responsabilidade por atraso na instalação de sistema ferroviário de travagem automática


 

lusa   Internacional   16 de Fev de 2010, 15:02

A Comissão Europeia refutou hoje, em Bruxelas, acusações de ser responsável por atrasos na instalação de sistemas de travagem automática na rede ferroviária belga.

"As acusações que lemos esta manhã são completamente infundadas", disse hoje Helen Kearns, porta-voz do comissário europeu para os Transportes, Siim Kallas.

A imprensa belga reproduz hoje declarações do diretor do ramo flamengo dos caminhos de ferro belgas (SNCB), Marc Descheemaecker, alegando que o processo de harmonização das regras europeias sobre travagem automática atrasou a instalação do sistema na Bélgica.

Também Luc Lallemand - administrador delegado da Infrabel, que gere a rede ferroviária - disse hoje de manhã à cadeia de televisão pública francófona RTBF que tiveram que aguardar "durante muito tempo que a Europa chegasse a acordo sobre uma norma inter operacional".

Só em 2006, adiantou Lallemand, começaram a ser instalados aparelhos que irão suportar, no futuro, o "software" do sistema europeu de gestão do tráfego ferroviário, processo que deverá estar concluído em 2013, estimou o responsável.

As afirmações de Descheemaecker vão no mesmo sentido: "Em 2005 optámos por um sistema próprio e decidimos equipar todos os comboios, mas isso não pode ser feito de uma vez".

Até agora, um terço dos comboios está equipado com um descodificador de um sinal emitido por uma caixa instalada nas linhas e que aciona o sistema de travagem automática em caso de necessidade.

Um dos comboios envolvidos no choque de segunda feira nos arredores de Bruxelas, que causou - segundo o último balanço - 18 mortos e 171 feridos, não tinha este equipamento instalado.

Um perito da Comissão Europeia em transportes ferroviários garantiu hoje que Bruxelas "não impediu o Estado belga ou a SNCB de instalar um sistema nacional de segurança".

"A rede ferroviária belga usa um sistema chamado TBL1 Plus, desenvolvido nos anos 1990", que utiliza uma "euro baliza" colocada na via e que transmite informação para o comboio.

A colisão de dois comboios, em Hal, a 15 quilómetros de Bruxelas, na segunda feira às 8:30 (7:30 de Lisboa), em plena hora de ponta, causou 18 mortos confirmados, dos quais um maquinista, e 171 feridos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.