Turkish Airlines despede centenas por participação no golpe de estado


 

Lusa/AO online   Economia   25 de Jul de 2016, 18:48

A Turkish Airlines despediu cerca de 350 empregados por alegada suspeita de ligações a Fethullah Gülen, que Ancara considera responsável pela tentativa de golpe de estado de 15 de julho, anunciam os media locais.

 

Fethullah Gülen é um religioso que vive exilado nos Estados Unidos.

Segundo o diário Sabah, os empregados, incluindo responsáveis da principal companhia aérea turca, foram convocados no domingo para rescindir os contratos, em alguns casos devido à “ineficácia laboral” e em outros casos devido a alegadas ligações à rede de Gülen.

A publicação Sözcü garante que foram despedidas pessoas com funções de responsabilidade, entre os quais pilotos.

O jornal acrescenta que entre os despedidos figuram o vice-presidente, Coskun Kilic, e outros gestores.

A principal companhia aérea da Turquia tem 27.000 empregados, entre os quais mais de 4.000 pilotos e 8.000 hospedeiras de bordo, segundo dados da companhia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.