Turismo Religioso em debate em Fátima com 75 operadores estrangeiros

Turismo Religioso em debate em Fátima com 75 operadores estrangeiros

 

Lusa/AO Online   Nacional   18 de Fev de 2015, 14:42

O III Workshop Internacional de Turismo Religioso, que se realiza a partir de sexta-feira em Fátima, no distrito de Santarém, com a presença de 75 operadores estrangeiros, tem como objetivos "proporcionar negócios concretos", segundo fonte da organização.

 

“O que pretendemos é que deste workshop saiam negócios para o turismo cultural e religioso, e não apenas para Fátima”, afirmou o presidente da Associação Empresarial Ourém/Fátima (ACISO), Francisco Vieira, sublinhando que o país tem outros locais de importância religiosa, como Braga, e não apenas católicos, assinalando as referências judaicas no país.

Segundo Francisco Vieira, “estão inscritos na iniciativa 75 operadores estrangeiros, de diferentes partes do mundo, desde o Brasil, Colômbia, Peru, Coreia do Sul, Indonésia, Índia ou Filipinas”.

“Há, também, operadores da Europa”, declarou, explicando que vai marcar presença uma centena de participantes portugueses ligados à hotelaria, agências de viagem, estruturas de animação turística ou companhias de aviação.

O presidente da ACISO estimou que o workshop, subordinado ao tema “Turismo Religioso: Novas Respostas a Novos Desafios”, reúna cerca de 250 pessoas.

Sobre a presença dos operadores estrangeiros, o responsável salientou a importância de se “procurarem mercados que possam ser alternativos aos que tradicionalmente se deslocam a Fátima”.

“O principal mercado de Fátima em termos de alojamento era o italiano e tem vindo a conhecer quebras, devido à crise e à laicização da Europa”, notou Francisco Vieira, defendendo a necessidade de “explorar mercados” da Ásia à América do Sul.

A iniciativa, que termina na segunda-feira, é uma organização da ACISO em colaboração com o município de Ourém e tem o apoio do Turismo de Portugal e do Turismo do Centro.

Os trabalhos têm início na manhã de sexta-feira, estando previstos debates sobre “Dinamização de um destino de turismo religioso” e “Comunicação estratégica dos destinos religiosos”.

Na tarde deste dia, realiza-se uma bolsa de contactos e, de acordo com a organização, prevê-se alcançar mais de mil reuniões.

Nos restantes dias de trabalho, estão programadas visitas às regiões Centro e Norte do país, “para dar a conhecer as potencialidades desses locais, para que os agentes as possam operar no futuro”, adiantou Francisco Vieira, esperançado que Fátima torne a ser, no próximo ano, novamente palco deste workshop, para projetar a cidade-santuário que, em 2017, assinala o centenário dos acontecimentos da Cova da Iria.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.