Trump nega contratação de ilegais para construir hotel

Trump nega contratação de ilegais para construir hotel

 

Lusa/AO Online   Internacional   27 de Out de 2016, 07:05

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, negou ter contratado mão-de-obra ilegal para construir o hotel que inaugurou na quarta-feira em Washington, após acusações da sua rival Hillary Clinton.

 

“Não utilizei nenhum [trabalhador indocumentado], por duas razões. Número um, porque não quis. E número dois, estou a candidatar-me a Presidente, porque faria isso?”, disse Trump na Carolina do Norte, para onde viajou depois de inaugurar o hotel.

“Não tivemos um único imigrante ilegal na construção. Toda a gente sabe. Acreditem em mim, podíamos ter contratado imensos, eles estavam por todo o lado. Podia ter poupado imenso dinheiro”, afirmou o magnata.

Trump respondeu assim a Clinton que, na Florida, o criticou por ter utilizado a campanha eleitoral para promover os seus negócios e o acusou de hipocrisia, por recorrer a mão-de-obra indocumentada para construir o hotel e ao mesmo tempo usar o combate aos trabalhadores ilegais na sua campanha eleitoral.

“Sabemos que utilizou trabalhadores indocumentados. A maior parte dos produtos nos seus quartos são produzidos fora dos Estados Unidos”, disse a antiga secretária de Estado.

No verão de 2015, em plena construção do hotel, alguns trabalhadores revelaram ao jornal The Washington Post que eram ilegais, enquanto outros admitiram ter entrado no país de forma ilegal apesar de terem autorização para trabalhar.

No passado, o magnata nova-iorquino recorreu a trabalhadores imigrantes em situação irregular, em concreto 200 polacos, para erguer a Trump Tower de Manhattan, entre 1979 e 1980, uma decisão que o obrigou a pagar, mais tarde, 325.000 dólares.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.