Trump critica FBI por não travar fugas de informação para os "media"

Trump critica FBI por não travar fugas de informação para os "media"

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   24 de Fev de 2017, 14:53

O Presidente norte-americano, Donald Trump, criticou veementemente a polícia federal (FBI) por não conseguir travar fugas de informação para os "media", frisando que os dados divulgados são classificados e podem ter um "efeito devastador" no país.

 

“O FBI é totalmente incapaz de travar as fugas de informações de segurança nacional que têm permeado o nosso governo há muito tempo. Eles nem conseguem sequer encontrar as fugas dentro do próprio FBI”, escreveu Trump numa mensagem (‘tweet’) divulgada na rede social Twitter.

“Informações classificadas estão a ser dadas aos meios de comunicação que podem ter um efeito devastador nos Estados Unidos. ENCONTRAR AGORA”, reforçou o chefe de Estado americano, utilizando mais uma vez letras maiúsculas num dos seus habituais ‘tweets’.

O Presidente fez estas críticas depois da divulgação de notícias que davam conta que o chefe de gabinete da Casa Branca, Reince Priebus, teria pedido a um alto funcionário da polícia federal norte-americana para travar informações divulgadas pela imprensa sobre contactos regulares entre os assessores da campanha de Trump e agentes dos serviços de informação russos durante as eleições.

Um funcionário da Casa Branca, citado pela agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP), referiu que o pedido de Reince Priebus ocorreu quando a administração tentou desacreditar informações publicadas na semana passada pelo diário The New York Times.

O diário avançou que responsáveis russos teriam entrado em contacto com Paul Manafort, que foi durante um breve período diretor da campanha de Trump e que apresentaria a demissão após ter sido alvo de suspeitas de corrupção, nomeadamente por ligações ao partido do antigo presidente da Ucrânia, o pró-russo Viktor Yanukovych.

Citando “quatro atuais e antigos funcionários norte-americanos”, o The New York Times referiu que chamadas telefónicas intercetadas e registos telefónicos revelaram contactos repetidos com os serviços de secretos de Moscovo.

O FBI não comentou publicamente, até à data, estas informações e não existe qualquer indicação de um possível comentário no futuro.

A conversa entre Reince Priebus e o vice-diretor do FBI, Andrew McCabe, provocou indignação entre alguns elementos do Partido Democrata americano, que defenderam que o chefe de gabinete estava a violar os princípios destinados a limitar as comunicações entre a agência federal policial e a Casa Branca sobre as investigações em curso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.