Trump acusa FBI de estar "comprometido" por usar dossier pago pelos democratas

Trump acusa FBI de estar "comprometido" por usar dossier pago pelos democratas

 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Dez de 2017, 17:14

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou hoje que o FBI "está comprometido", por ter utilizado um dossier parcialmente pago pela campanha de Hillary Clinton para investigar a alegada ligação da campanha republicana ao governo da Rússia.

Numa mensagem publicada hoje na rede social Twitter, Trump atacou a veracidade do próprio dossier - parcialmente financiado pelo Partido Democrata - apelidando-o de "monte de lixo da Hillary Desonesta" (alcunha que o então candidato republicano às presidenciais de 2016 deu à candidata democrata).

O Presidente aproveitou o facto de o FBI ter afirmado que continuam a faltar provas para sustentar as maiores acusações contidas no documento para atacar a agência no que diz respeito à investigação acerca da sua própria campanha.

“WOW ‘O dossier é treta. A Campanha Clinton e o DNC [o comité nacional de campanha do Partido Democrata] financiaram o Dossier. (Depois de todo este tempo) o FBI não consegue comprovar as alegações de conluio Rússia/Trump. FBI comprometido’”, escreveu Trump no Twitter.

“E eles usaram este monte de lixo da Hillary Desonesta como base para ir atrás da Campanha Trump!”, completou o Presidente.

O FBI escusou-se a repudiar o Dossier russo, mas admitiu que as principais acusações que contem - sobre alegado envolvimento da Rússia para favorecer o então candidato - continuam por provar, noticiou hoje o Washington Times.

A investigação sobre a Rússia - pelo FBI e pelo Congresso, e depois por um investigador-especial do Departamento da Justiça, Robert Mueller - tem vindo a afetar a presidência de Trump desde que este foi eleito.

No decorrer deste processo ainda não se provou conluio entre a Rússia e Trump, mas o antigo conselheiro de segurança nacional do Presidente Michael Flynn deu-se como culpado por ter mentido aos agentes federais nesta matéria.

Também o antigo secretário de campanha de Trump Paul Manafort e o seu antigo sócio Rick Gates foram acusados de 12 crimes, que incluem lavagem de dinheiro e falso testemunho.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.