Tribunal condena três arguidos a penas de nove e dez anos por homicídio de porteiro de discoteca


 

Lusa/Ao online   Regional   14 de Dez de 2007, 09:20

O Tribunal de Ponta Delgada, nos Açores, condenou hoje os três arguidos de um caso de homicídio de um porteiro de discoteca a penas de prisão efectiva entre os dez e os nove anos.
Segundo o acórdão lido pelo juiz Araújo de Barros, dois dos arguidos foram condenados a dez anos de prisão por um crime de homicídio e tráfico de droga, enquanto ao terceiro foi aplicada a pena de nove anos, também, por homicídio.

    O caso remonta a 03 de Fevereiro deste ano, quando o porteiro de uma discoteca de Ponta Delgada, conhecido e tratado por “Rui Galhinha”, foi atingido a tiro à porta de casa, num bairro na cidade açoriana.

    Este homicídio estava relacionado com dívidas dos arguidos à vítima devido ao tráfico de droga.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.