"Três cartazes à beira da estrada" vence melhor filme nos BAFTA

"Três cartazes à beira da estrada" vence melhor filme nos BAFTA

 

Lusa/AO online   Cultura e Social   19 de Fev de 2018, 09:00

O filme "Três cartazes à beira da estrada", de Martin McDonagh, foi o triunfador da 71.ª edição dos prémios da Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão (BAFTA), com cinco prémios, incluindo melhor filme e melhor atriz.

A longa-metragem, que narra a história de uma mãe em busca de justiça depois da morte da filha, conquistou cinco prémios em Londres: melhor filme, melhor filme britânico, melhor argumento original, melhor atriz, para Frances McDormand, e melhor ator secundário, para Sam Rockwell.

Na categoria de melhor realizador, o galardão foi entregue ao cineasta mexicano Guillermo del Toro, de 53 anos, por "A forma da água", sendo a segunda vez que recebe um BAFTA, depois de ter conquistado, em 2007, na categoria de melhor longa-metragem em língua inglesa, por "O labirinto do Fauno".

"A forma da água" decorre em Baltimore, nos Estados Unidos, nos anos 1960, e narra uma história de amor entre uma jovem que trabalha num laboratório de alta segurança do governo, e uma criatura humanoide anfíbia que se encontra aprisionada.

O filme também venceu os BAFTA nas categorias de melhor música (Alexandre Desplat) e desenho de produção (Paul Austerberry, Jeff Melvin e Shane Vieau).

O BAFTA para melhor ator foi entregue ao britânico Gary Oldman pela sua interpretação de Winston Churchill em "A hora mais negra", de Joe Wright.

O realizador e produtor britânico Ridley Scott recebeu o BAFTA honorífico pela sua contribuição para a indústria cinematográfica e foi aplaudido de pé pelo público presente na cerimónia, que decorreu no Royal Albert Hall.

"Não me quero comover, mas na verdade, estou emocionado. Há 40 anos que faço neste trabalho, e é a primeira vez que me dão algo”, declarou.

Roger Deakins, por "Blade Runner 2049" recebeu o BAFTA na categoria de melhor direção de fotografia, Allison Janney conquistou o galardão na categoria de melhor atriz secundária em "Eu, Tonya", de Craig Gillespie, e o filme "Dunkerque", do britânico Christopher Nolan, venceu na categoria de melhor som.

"Chama-me pelo teu nome", do italiano Luca Guadagnino, venceu o galardão para melhor argumento adaptado (James Ivory), e "I Am Not Your Negro", do realizador haitiano Raoul Peck, ganhou o BAFTA para melhor documentário.

O britânico Daniel Kaluuya recebeu o BAFTA para melhor intérprete revelação, único prémio votado pelo público, pelo papel de Chris Washington, no filme "Get Out".

"Coco", do norte-americano Lee Unkrich, conquistou o prémio para o melhor filme de animação, e Mark Bridges foi galardoado com o BAFTA para melhor guarda-roupa por "Linha Fantasma", dirigida por Paul Thomas Anderson.

O filme coreano "A Donzela", de Chan-Wook Park, ganhou o BAFTA de melhor filme em língua não inglesa.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.