Trabalhadores dos CTT pedem intervenção do Presidente da República


 

Lusa/AO online   Economia   13 de Set de 2010, 15:17

Os trabalhadores dos centros de distribuição postal da Calçada da Boa-Hora (Lisboa), que esta segunda-feira comprem um dia de greve, apelaram ao Presidente da República para intervir junto do Governo e ajudar a “repor a normalidade” nos CTT.
Numa carta aberta que entregaram na Presidência da República, os trabalhadores destes dois centros de distribuição postal manifestam-se preocupados com “a falta de qualidade que actualmente a gestão da empresa os obriga a prestar à comunidade”.

E exemplificam: “Em algumas zonas a distribuição em dias alternados (feita por trabalhadores precários sem formação nem qualificação para o exercício da actividade profissional de carteiro), o atraso na da correspondência e a má organização do trabalho e a retirada da rede normal dos CTT de mais de 23 000 correspondências diárias, que são entregues a uma empresa paralela”.

Na missiva, os 85 trabalhadores destes dois centros de distribuição postal, que abrange uma área desde Campo de Ourique até Miraflores, consideram que “o modelo de organização que os CTT estão a implantar leva ao acentuar da precariedade laboral (…), prejudica os utentes que recebem o sue correio por vezes com vários dias de atraso e prejudica as empresas que recebem as suas correspondências quase no final do expediente”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.