Energia

Trabalhadores das refinarias do Porto e de Sines cancelam greve


 

Lusa / AO online   Economia   17 de Mai de 2010, 18:05

Os trabalhadores das refinarias da Galp cancelaram esta segunda-feira a greve de quatro dias, que se iniciava terça-feira, acusando a administração de "terrorismo psicológico" e de "impedir o exercício do direito de greve".
O coordenador da comissão central de trabalhadores, Hugo Basto, disse à Lusa que "a greve foi desconvocada devido à pressão inqualificável e mesmo ilegal que alguns dirigentes das refinarias, com maior gravidade no Porto, fizeram em relação a dirigentes sindicais".

Em declarações à Lusa, Hugo Basto adiantou que a suspensão da greve foi motivada pelos "receios dos trabalhadores pela grande pressão da administração da empresa que utilizou a ameaça de descontar mais dias do que os de greve", que, acrescentou, "é uma medida ilegal e, nesse sentido, existe uma queixa-crime contra a administração".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.