Trabalhadores da PT/Meo pedem reunião urgente a António Costa

Trabalhadores da PT/Meo pedem reunião urgente a António Costa

 

Lusa/AO online   Economia   29 de Ago de 2017, 16:57

Os representantes dos trabalhadores da Portugal Telecom (PT) vão pedir uma reunião urgente ao primeiro-ministro para apelar a sua intervenção junto da Altice, dona da operadora, e admitem novas greves se as condições laborais não melhorarem.


"Decidiu-se pedir uma reunião formal imediata com o primeiro-ministro [António Costa] e o ministro do Trabalho [Vieira da Silva]", disse aos jornalistas o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom (STPT), Jorge Félix, após a reunião que hoje juntou as estruturas representativas dos funcionários da PT/MEO para analisaram o relatório da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) sobre a operadora.

O dirigente sindical recordou que António Costa disse que ia esperar pelo relatório da ACT para se pronunciar, referindo que o documento agora conhecido aponta para violações por parte da empresa detida pela Altice, considerando que esta mostra "desrespeito pela lei, a Constituição e diretivas europeias", a que os governantes "não podem ficar alheios".

Para o dirigente sindical, a responsabilidade pelo que se passa na PT/Meo é dos donos da Altice, pelo que espera que o poder político tenha uma "intervenção direta", "conversações" com esses responsáveis, que os chame à razão.

"Se porventura não houver resultados dessa conversação, se não resultar na inversão de procedimentos pela Altice, o Ministério Público e o Governo têm autoridade para considerar que a situação que existe na Portugal Telecom é de crime, desde logo na questão do assédio, mas não só", acrescentou Jorge Félix.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.