Trabalhadores com carreiras contributivas entre os 41 e os 47 anos vão ter redução entre os 4 meses e 3 anos na idade de reforma

Trabalhadores com carreiras contributivas entre os 41 e os 47 anos vão ter redução entre os 4 meses e 3 anos na idade de reforma

 

Lusa/AO Online   Economia   7 de Abr de 2017, 07:28

Os trabalhadores com carreiras contributivas entre os 41 e os 47 anos vão ter uma idade de reforma própria, com uma redução entre os 4 meses e os 3 anos em relação à idade de reforma atual, foi hoje divulgado.

O Governo propôs hoje aos parceiros sociais o ajuste individual da idade de reforma em função da carreira contributiva para a Segurança Social, para os pensionistas com longas carreiras contributivas que pensem em reformar-se antecipadamente, ou seja antes dos 66 anos e três meses.

Ao abrigo deste ajuste, um trabalhador com 41 anos de descontos pode reformar-se sem penalização aos 65 anos e 11 meses, enquanto um com uma carreira contributiva de 47 anos pode reformar-se aos 63 anos e 3 meses.

Ou seja, à medida que aumenta a carreira contributiva, diminui a idade de reforma.

Esta é uma das medidas para proteger as carreiras contributivas longas que integra a proposta que o Governo, através do Ministro do Trabalho e da Segurança Social, está a discutir com os parceiros sociais.

Na última reunião de concertação social, a 22 de março, o ministro Vieira da Silva apresentou um primeiro documento orientador para a revisão do regime de reformas antecipadas por flexibilização que previa a proteção plena para as carreiras muito longas.

Assim, os trabalhadores com pelo menos 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade podem reformar-se antecipadamente sem qualquer penalização.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.