Totta informa que ficou com obrigações hipotecárias e não subordinadas do Banif

Totta informa que ficou com obrigações hipotecárias e não subordinadas do Banif

 

Lusa/AO Online   Economia   30 de Dez de 2015, 04:58

O banco Santander Totta esclareceu que ficou com obrigações hipotecárias e seniores emitidas pelo Banif, pelo que irá caber-lhe os pagamentos referentes a estes títulos de dívida.

 

Em comunicado enviado hoje à Comissão do Mercado Valores Mobiliários (CMVM), o banco Santander Totta informou que, na sequência da medida de resolução aplicada ao Banif e da aquisição por si de ativos, passivos e outros elementos daquele banco, que foi transferida para si a “posição de emitente assumida pelo Banif com relação a obrigações hipotecárias emitidas ao abrigo do seu programa de emissão de obrigações hipotecárias e obrigações seniores (não subordinadas)”.

As obrigações com que o Santander Totta ficou estão identificadas no comunicado enviado à CMVM. Nas obrigações hipotecárias são três emissões e nas obrigações seniores outras três.

Com a passagem destes títulos para o Totta, os obrigacionistas são agora credores do banco, pelo que caberá ao Totta assumir os pagamentos.

As obrigações hipotecárias são títulos garantidos por hipotecas, caso de imóveis.

A dívida sénior ou não subordinada é aquela que é mais protegida, uma vez que pressupõe prioridade no pagamento em caso de incumprimento.

Já a dívida subordinada ou júnior é a menos protegida em caso de problemas na empresa que a emite, podendo implicar perdas para os seus detentores.

Hoje foi noticiado que é necessária uma nova recapitalização do Novo Banco e que a solução passará pelas obrigações seniores do BES, que aquando da resolução deste banco - agosto de 2014 - passaram para o Novo Banco.

A TSF noticiou que as obrigações seniores poderiam ser transformadas em capital do Novo Banco, passando os obrigacionistas a acionistas.

Já o Jornal de Negócios informou hoje à tarde que entretanto a solução já será outra e que passará pela transferência das obrigações seniores do Novo Banco para o BES e que em causa estarão 1.500 milhões de títulos detidos por investidores institucionais.

Caso vá em frente a solução referida pelo Jornal de Negócios, essa dívida sénior é devolvida ao 'banco mau' BES, que ficará responsável pelo seu reembolso.

Para o Novo Banco, a saída dessa responsabilidade significa uma melhoria dos seus rácios de capital. No entanto, para os detentores de obrigações seniores esta situação é arriscada, uma vez que o BES pode não ter condições de assegurar os pagamentos.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu hoje de negociação as obrigações seniores do Novo Banco, informando que essa suspensão durará "até à divulgação de informação relevante sobre o emitente".

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.