Tertúlia Tauromáquica diz que tourada para crianças nas Sanjoaninas é legal


 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Jun de 2015, 18:32

A Tertúlia Tauromáquica Terceirense garantiu hoje que a corrida de touros para crianças, que vai decorrer na Terceira, é um espetáculo legal que se realiza há dezenas de anos, considerando ser pura demagogia denúncias de um movimento antitouradas.

O Movimento Cívico Abolicionista da Tauromaquia nos Açores (MCATA) condenou hoje, em comunicado, a organização do evento para crianças, na quinta-feira, na Praça de Touros da Ilha Terceira, no âmbito das festas Sanjoaninas, considerando ser um “atentado que contraria as legislações nacionais e internacionais”.

“Nesta corrida as crianças são obrigadas a assistir à reiterada tortura de animais mediante a utilização de bandarilhas, chegando mesmo a haver intervenção de alguns menores de idade na arena. Depois, todas as crianças são levadas à arena e são incentivadas a utilizar bandarilhas e a simular a sorte de varas, prática proibida no nosso país, sobre bonecos que personificam os touros, naquilo que a organização chama ‘atividades taurinas infantis’”, adianta o MCATA.

O presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense disse à Lusa que se trata de um espetáculo com “dezenas de anos na Terceira”, considerando ser “pura demagogia falar na questão das consequências para as crianças”.

“É um espetáculo com grande tradição. É um espetáculo gratuito, os próprios ganadeiros e artistas atuam graciosamente. Mas acima de tudo a grande questão é que é pura demagogia e uma autêntica falácia falar na questão das consequências que isto terá para as crianças”, declarou Arlindo Teles, frisando que “não existe em lado nenhum qualquer estudo que confirme qualquer tipo de consequência na formação das crianças”.

Arlindo Teles garantiu que a corrida foi “licenciado pela Inspeção regional das atividades culturais, baseado até também em pareceres da Inspeção Geral das Atividades Culturais do Ministério da Cultura” e “está tudo previsto", como "a idade das crianças para assistirem, desde o momento que estejam acompanhados por professores, pelos pais ou tutores”.

“As Sanjoaninas só fazem espetáculos que são legais”, sustentou ainda o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, para quem "o tipo de críticas" levantado pelo Movimento "não tem qualquer sentido".

O MCATA condenava ainda o facto de a Câmara de Angra do Heroísmo ter permitido “esbanjar 100 mil euros para financiar diretamente atividades tauromáquicas como a corrida para crianças ou a importação de touros de Espanha", numa "época de grave crise económica” para a Terceira.

Arlindo Teles disse que o valor em causa resulta de "um protocolo que a Tertúlia tem há anos com a Câmara" de Angra do Heroísmo e "um dos objetivos é a promoção externa para a captação de turismo taurino".

"Esta é, aliás, uma realidade que há muitos anos preconizamos e que agora começa a dar os primeiros frutos", disse ainda.

Por esta altura do ano, milhares de pessoas assistem, na Terceira, às festas Sanjoaninas, que decorrem até 28 de junho e que este ano homenageiam os emigrantes açorianos. Do cartaz oficial faz parte, na quinta-feira, a tradicional “Corrida das Crianças e dos Idosos”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.