Telefónica ataca investidores da PT por causa da Vivo

Telefónica ataca investidores da PT por causa da Vivo

 

Lusa/AO Online   Economia   26 de Mai de 2010, 07:08

A operadora de telecomunicações espanhola Telefónica arranca hoje numa digressão por Frankfurt, Londres e Nova Iorque, para persuadir os principais investidores internacionais da Portugal Telecom (PT) a apoiarem a sua oferta para compra da posição portuguesa na brasileira Vivo.

No início do mês, a equipa de gestão da PT, liderada por Zeinal Bava, rejeitou a oferta de 5,7 mil milhões de euros pela posição de 31,8 por cento que detém na operadora móvel brasileira, estragando os planos da companhia espanhola de aumentar a sua posição no gigante sul-americano.

Agora, os responsáveis da Telefónica vão iniciar uma série de contactos com os investidores institucionais estrangeiros da PT, como o Credit Suisse e o Deutsche Bank, de forma a procurar apoios para o negócio.

A Telefónica também detém 31,8 por cento da Vivo e a parceria luso-espanhola no mercado brasileiro já dura há 10 anos.

Porém, os espanhóis têm por diversas vezes manifestado a intenção de tomar o controlo total da companhia brasileira, de forma a incorporá-la na empresa de rede fixa Telesp, cujo lucro no primeiro trimestre do ano desceu.

A oferta da Telefónica implica um prémio de 145 por cento sobre a cotação das ações da Vivo negociadas na bolsa de São Paulo, mas foi imediatamente rejeitada pela PT, que considerou que uma venda "amputaria o seu futuro".

A Telefónica, que detém 10 por cento da companhia portuguesa, mantém a oferta de pé até ao dia 06 de junho e deseja que os investidores da PT votem o negócio, excluindo, no entanto, rever em alta o preço oferecido pela Vivo.

O Governo português e alguns investidores institucionais portugueses já se manifestaram a favor da decisão da PT de manter a sua participação na Vivo, dado o grande potencial do mercado brasileiro e as afinidades culturais e linguísticas entre os dois países.

A administração da PT antecipou-se à congénere espanhola e já deu início, no passado dia 17, a um road show junto de investidores dos Estados Unidos da América para tentar obter meios que lhe permitam disputar a liderança da Vivo.

Zeinal Bava vai percorrer, em duas semanas, seis estados norte-americanos, iniciando a ronda de reuniões em Seattle, passando pela Califórnia e concluindo o seu périplo em Nova Iorque, onde integrará a embaixada económica que a Euronext e o BES Investimento prepararam para Wall Strett, que conta com as principais empresas do PSI 20 e o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

Depois dos Estados Unidos, o CEO da PT deslocar-se-á a Londres e às principais praças europeias, com o objetivo claro de convencer os acionistas institucionais a estarem do seu lado no apoio à rejeição da proposta de compra da participação portuguesa na Vivo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.