Taxas de juros do crédito à habitação voltam a baixar

Taxas de juros do crédito à habitação voltam a baixar

 

Lusa/AO online   Economia   21 de Dez de 2012, 10:08

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação bateu um novo mínimo em novembro, fixando-se em 1,701%, divulgou esta sexta-feira o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de juro dos contratos de crédito à habitação recuou 0,128 pontos percentuais face a outubro, "o que correspondeu a um novo mínimo da série iniciada em 2009", ficando 0,109 pontos percentuais abaixo do último mínimo registado em junho de 2010.

Desde dezembro de 2011, quando se registou a última inflexão da série, a diminuição acumulada foi 1,013 pontos percentuais.

Também a prestação média vencida para o total dos contratos em vigor voltou a descer, ficando em 268 euros, ou seja, menos quatro euros face a outubro.

"O valor médio da prestação, para o conjunto dos contratos de crédito à habitação celebrados nos últimos três meses, diminuiu nove euros em relação ao mês anterior, fixando-se nos 340 euros", detalha o instituto.

Nos contratos para aquisição de habitação, o valor médio da prestação vencida fixou-se em 276 euros, menos cinco euros que em outubro, sendo que nos contratos celebrados nos últimos três meses, a prestação média vencida foi 361 euros em novembro (menos oito euros que em outubro).

Quanto aos contratos para aquisição de habitação, a taxa de juro implícita situou-se nos 1,713%, também correspondente a um novo mínimo, ou seja, inferior em 0,129 pontos percentuais à de outubro.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita foi 3,532% em novembro, diminuindo 0,097 pontos percentuais face a outubro (ainda assim 1,534 pontos percentuais acima da taxa mínima da série em maio de 2010).

Já quanto à taxa de juro dos contratos celebrados nos últimos 3 meses relativos a aquisição de habitação caiu 0,090 pontos percentuais em relação a outubro, situando-se em 3,507% (superior em 1,501 pontos percentuais face à taxa mínima da série em maio de 2010).

O valor do capital médio em dívida situou-se em 58.992 euros e em 61.986 euros para a totalidade dos contratos de crédito à habitação e para os contratos para Aquisição de habitação, respetivamente.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.