Taxa de juro no crédito à habitação recua para 1,439% em outubro

Taxa de juro no crédito à habitação recua para 1,439% em outubro

 

Lusa/AO online   Economia   24 de Nov de 2014, 11:25

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação recuou para os 1,439% em outubro, enquanto a prestação média vencida diminuiu um euro face a setembro, para 258 euros, divulgou o INE.

 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a evolução da taxa de juro implícita no crédito à habitação para os 1,439% em outubro representa um decréscimo de 0,032 pontos percentuais (p.p.) comparativamente com a taxa observada no mês anterior (1,471%).

Para os contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita passou de 3,131% em setembro para 3,071% em outubro.

Nos contratos com destino de financiamento ‘aquisição de habitação’, a taxa de juro situou-se em 1,453% (1,484% em setembro) sendo que, para este mesmo destino de financiamento, a taxa de juro implícita nos contratos celebrados nos últimos três meses diminuiu 0,057 p.p., comparativamente com o mês anterior, para 3,058% em outubro.

No que respeita ao valor médio da prestação vencida para o conjunto dos contratos de crédito à habitação, fixou-se em 258 euros em outubro, menos um euro do que no mês anterior.

No caso dos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação foi 344 euros, menos nove euros que no mês anterior.

Em outubro, nos contratos com destino ‘aquisição de habitação’ o valor médio da prestação vencida foi 266 euros, três euros abaixo de setembro, sendo que para este destino de financiamento, nos contratos celebrados nos últimos três meses, a prestação média vencida passou de 372 euros em setembro para 364 euros em outubro.

De acordo com o INE, o valor do capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação foi de 56.916 euros em outubro, 103 euros menos do que em setembro.

A este propósito, o instituto nota que que o capital médio em dívida “tem vindo a diminuir desde setembro de 2011, atingindo uma redução acumulada de 2718 euros”.

Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio do capital em dívida foi 82.128 em outubro (83.405 euros em setembro).

Para os contratos com destino de financiamento ‘aquisição de habitação’, o valor do capital médio em dívida situou-se em 59.849 euros, menos 105 euros que em setembro.

Para este mesmo destino de financiamento, os contratos celebrados nos últimos três meses apresentaram um valor médio de capital em dívida de 86.369 euros (87.143 euros no mês anterior).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.