Taxa de emprego na OCDE manteve-se em 65,6% no segundo trimestre

Taxa de emprego na OCDE manteve-se em 65,6% no segundo trimestre

 

Lusa/AO Online   Internacional   14 de Out de 2014, 13:53

A taxa de emprego no conjunto da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico) no segundo trimestre manteve-se estável em 65,6%, mais meio ponto percentual no mesmo período do ano passado.

Ainda que abaixo da taxa de emprego do conjunto da OCDE, Portugal registou o segundo maior aumento dos 34 Estados membros, com um aumento de 2,3 pontos percentuais do número de pessoas empregadas no segundo trimestre face ao precedente para se cifrar em 62,4%.

Apesar de tudo, a manutenção da taxa na OCDE trava a tendência de alta dos últimos quatro trimestres e situa-se um ponto abaixo da que se registava nos 34 Estados membros da organização no segundo trimestre de 2008, precisamente antes do início da crise financeira e económica global.

Enquanto a zona euro se manteve inalterada em 63,8% de pessoas empregadas entre abril e junho, potências como o Reino Unido (com uma subida de 0,4 pontos percentuais, os Estados Unidos (+0,2) e o Japão (+0,2) registaram aumentos ligeiros do emprego.

Em comparação com o mesmo período de 2013, a taxa de emprego no segundo trimestre aumentou em 25 países do 34 que integram a OCDE e registou os maiores acréscimos na Hungria (+3,4), Portugal (+2,3), Nova Zelândia (+1,7) e Reino Unido (+1,6).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.