Suspeitos de clonagem de cartões em liberdade


 

Lusa / AO Online   Regional   1 de Mai de 2010, 09:25

Os três homens detidos em S. Miguel, Açores, por alegada clonagem de cartões de crédito, incluindo um assessor do líder nacional e regional do PPM, vão aguardar julgamento em liberdade, decidiu o Tribunal de Ponta Delgada.

A informação foi revelada à agência Lusa ao início da noite por um dos advogados dos detidos, que se escusou a especificar eventuais medidas de coação que tenham sido decididas no final do interrogatório judicial.

O advogado, alegando estar sob segredo de justiça, afirmou apenas que "nenhum dos três detidos" na quinta feira, por suspeita de contrafação de títulos de crédito estrangeiros, "ficou em prisão preventiva".

Entre os arguidos encontra-se Hélio Emílio, assessor do líder monárquico, Paulo Estevão, que já tinha sido expulso há cerca de cinco anos da JS, alegadamente por angariar militantes de forma irregular.

Os três homens, que foram levados de manhã para o Tribunal de Ponta Delgada, só abandonaram as instalações depois das 20:00 (21:00 em Lisboa), no final de um interrogatório que começou cerca das 14:00.

O trio é acusado de ter efetuado compras em Ponta Delgada com cartões clonados, presumindo-se que estariam a colocar o material comprado num contentor que posteriormente seria enviado para a ilha do Corvo, a mais pequena do arquipélago dos Açores.

A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu os cartões contrafeitos, os bens adquiridos e a máquina usada para a clonagem dos cartões.

Segundo a PJ, a actividade deste grupo era bastante abrangente, transcontinental e terá lesado financeiramente diversos cidadãos estrangeiros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.