Somague confirma despedimento coletivo de 300 trabalhadores

Somague confirma despedimento coletivo de 300 trabalhadores

 

Lusa/AO online   Nacional   21 de Nov de 2017, 16:49

A construtura Somague confirmou hoje, à agência Lusa, que vai avançar com um despedimento coletivo de 300 trabalhadores, para tornar a empresa competitiva, motivada pelas dificuldades em Angola e no Brasil, principais mercados internacionais onde opera.


“A atividade da Somague tem vindo a sofrer uma continuada e significativa quebra. Em 2015 iniciou-se um processo de reestruturação que agora se conclui e que será o último, tendo sido estruturado com a finalidade de tornar a empresa de novo competitiva no mercado”, esclareceu a construtora, em resposta enviada à Lusa.

Já hoje o presidente do Sindicato da Construção, Albano Ribeiro, tinha afirmado que a Somague se preparava para avançar com um despedimento coletivo de cerca de 200 trabalhadores, o segundo em menos de dois anos.

“Em menos de dois anos a Somague recorreu a despedimentos coletivos. Primeiro em 2015 e agora quer despedir mais 200 trabalhadores, do total de 800 funcionários da construtora”, indicou.

A empresa explica que “o despedimento coletivo é o mecanismo previsto pela lei portuguesa para processos de reestruturação de pessoal”, sublinhando que “o recurso a esta forma de cessação dos contratos de trabalho dos colaboradores afetados supõe uma garantia legal para os trabalhadores" no que respeita “a garantir a consistência e tratar com igualdade todos os trabalhadores”, manter o direito pelos direitos laborais e garantir o acesso ao subsídio de desemprego.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.