Internet

Site do governo iraniano chama prostituta a Carla Bruni


 

Lusa/AO online   Internacional   30 de Ago de 2010, 18:41

O "site" de Internet do grupo de imprensa governamental do Irão criticou hoje “a imoralidade” de Carla Bruni num comentário a um artigo que chama “prostituta” à mulher do Presidente francês por defender uma iraniana condenada à morte por adultério.
Comentando o artigo do jornal ultraconservador Kayhan, o ‘site’ www.inn.ir afirma que “os ‘media’ ocidentais, ao pormenorizarem os seus numerosos antecedentes de imoralidade, confirmaram implicitamente que ela merece esse título”.

O Kayhan criticou sábado o apoio de Carla Bruni a Sakineh Mohammadi-Ashtiani, condenada à morte por adultério e participação no assassínio do marido, num artigo intitulado “As prostitutas francesas participam no tumulto em torno dos direitos humanos”.

O artigo qualifica Carla Bruni de “actriz e cantora depravada, que conseguiu destruir a família de (Nicolas) Sarkozy e casar-se com o Presidente francês”, e critica também a intervenção “da actriz corrompida (Isabelle) Adjani” neste caso.

“Os antecedentes (de Carla Bruni) mostram claramente por que essa mulher imoral deu o seu apoio a uma mulher condenada por ter cometido adultérios e ter sido cúmplice da morte do marido”, afirma hoje o ‘site’.

Carla Bruni-Sarkozy afirmou a 23 de Agosto, numa carta aberta, que “França não abandonará” Ashtiani, de 43 anos.

Teerão anunciou no início de Julho a “suspensão” da sentença de morte por lapidação e uma revisão do caso de Ashtiani.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.