Síria: Mais de 100 combatentes mortos numa semana de batalha em Alepo

Síria: Mais de 100 combatentes mortos numa semana de batalha em Alepo

 

Lusa / AO online   Internacional   20 de Ago de 2016, 11:16

Cento e oito militares e combatentes rebeldes morreram numa semana de confrontos e combates no sul da cidade de Alepo, anunciou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

 

Pelo menos 61 dos mortos pertenciam a fações da oposição, na sua maioria de tendência islamita, entre eles Abuleil al Tunsi, comandante militar do grupo Ansar al Islam.

Nas fileiras governamentais morreram 47 militares e milícias aliadas, segundo a contagem do Observatório, que adiantou que entre as baixas figuram 16 oficiais e o comandante da Escola Técnica Aérea, o general Dib Basie.

A ONG também avançou com um balanço das vítimas mortais civis desde o início da escalada da violência no passado dia 31 de julho, que ascendem a 442, entre elas 97 menores e 54 mulheres.

Mais de 270 civis perderam a vida nos bombardeios da aviação síria e russa contra zonas que estavam nas mãos dos rebeldes em Alepo e povoações na periferia.

As últimas vítimas destes ataques aéreos foram sete membros da mesma família, dos quatro eram crianças, que morreram hoje num bombardeamento no bairro de Al Yalum.

Há dois dias, o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Síria, Staffan de Mistura, pediu às partes do conflito uma pausa humanitária de pelo menos 48 horas para permitir a entrada de ajuda.

Tanto a Rússia, aliada do regime de Damasco, como a oposição síria acordaram com a trégua, embora até ao momento a violência continue em Alepo.

A cidade tem sido disputada pelas forças de Damasco e pelos rebeldes desde o verão de 2012, quando os insurgentes conquistaram vastas áreas da região, a segunda cidade síria e uma das mais afetadas pelo conflito que teve início em março de 2011.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.