Sintap apela a todos os funcionários públicos nos Açores para aderirem à greve


 

Lusa/AO online   Regional   27 de Jul de 2016, 17:34

A Direção dos Açores do Sintap apelou a "todos os funcionários públicos" da região para aderiram à greve de dois dias, marcada para quinta e sexta-feira na região, como sinal de "protesto" contra o Governo Regional.

Em conferência de imprensa realizada na cidade da Horta, Luís Armas, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (Sintap), lembrou que estão em causa "justas reivindicações" dos funcionários públicos açorianos.

"Esta greve é um protesto pela falta de diálogo e de negociação coletiva da parte do Governo Regional", apontou o dirigente sindical, que acusa o executivo socialista de ter imposto, "de forma unilateral", a atualização do complemento de pensão e do complemento ao abono de família, e de ter recusado aumentar a remuneração complementar.

No seu entender, esta atitude do Governo Regional constitui um "desrespeito pelo papel que a Constituição" reconhece aos sindicatos, lembrando que o executivo regional nem se dignou responder ao pedido de abertura a negociação coletiva apresentado pelo Sintap.

"Face à falta de diálogo e negociação coletiva do Governo, o Sintap avançou este ano com uma petição popular, solicitando à Assembleia Regional um esforço de atualização mínimo de 10% da remuneração complementar", recordou Luís Armas, lamentando que a iniciativa, subscrita por mais de 5.000 pessoas, tenha sido "pura e simplesmente ignorada" pela maioria socialista.

Os dirigentes sindicais exigem também a "reposição do poder de compra" dos funcionários públicos dos Açores, que terão tido, desde 2012, uma "perda média acumulada do poder de compra" de mais de 34 euros, devido aos custos da insularidade.

A paralisação de dois dias, decretada para quinta e sexta-feira, abrange vários setores de atividade, mas a expectativa de Luís Armas é a de que a greve tenha mais impacto no setor da Saúde, podendo vir a interromper a realização de consultas e de exames médicos no Serviço Regional de Saúde.

Aquele responsável sindical apelou ainda ao PS/Açores para que "revele no seu programa eleitoral" a sua posição sobre estas questões, admitindo a possibilidade de o Sintap voltar a decretar novas greves antes das eleições legislativas regionais de outubro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.