Mobilidade

Sinistralidade deve ser considerada problema de Saúde Pública


 

Lusa/AO online   Nacional   20 de Set de 2010, 18:21

A Associação de Médicos de Saúde Pública considerou esta segunda-feira que o problema da sinistralidade rodoviária em Portugal deve ser abordado como uma questão global do país e não apenas como uma “questão policial”.
Num período em que se comemora mais uma edição da Semana Europeia da Mobilidade, o responsável da associação, Mário Durval, reclamou uma maior colaboração entre vários agentes públicos para prevenir acidentes e identificar os factores de risco.

Na sua opinião, os objectivos têm sido “colocados numa perspectiva policial, em vez de epidemiológica, ou seja qual a distribuição no espaço, no tempo, qualidade dos veículos, tipo de viaturas e contextos dos acidentes”.

Para o responsável, as metas, os resultados e os programas têm de ter em conta a análise de dados epidemiológicos que os médicos de Saúde Pública diariamente fazem.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.