Sindicato pede condições para SATA Internacional assegurar serviço público nos Açores

Sindicato pede condições para SATA Internacional assegurar serviço público nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Abr de 2015, 19:12

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) considerou hoje urgente dar condições à SATA Internacional para que a empresa assegure o serviço público de transporte aéreo entre os Açores e o resto do país.

"Claramente urge preparar condições para que a SATA Internacional realize a sua operação convenientemente e assegure o serviço público a todos os açorianos", considera o sindicato, num comunicado.

O comunicado surge a propósito do pedido de explicações que o Governo Regional dos Açores enviou ao ministro da Economia, Pires de Lima, por a TAP ter deixado de assegurar rotas de serviço público no arquipélago.

O SNPVAC diz que "estranha a posição do Governo Regional dos Açores", considerando que o urgente é dar condições para isso à SATA Internacional, a companhia aérea da região autónoma que tem como único acionista o executivo açoriano.

O sindicato critica a "ousadia e arrojo" do executivo regional "em exigir aos outros (...) o que não exige a si próprio" e volta a criticar a "constante ingerência" do secretário regional dos Transportes, Vítor Fraga, na SATA, uma acusação a que o governante açoriano já respondeu por várias vezes, negando interferências na empresa e desafiando quem faz estas denúncias a concretizar as acusações.

Para o SNPVAC, a política que tem sido seguida pelo Governo dos Açores em relação à SATA "concorre para a destruição" da empresa e "toda a estrutura de um serviço público prestado pela companhia aérea regional, bem como as necessidades do povo açoriano, ficarão em risco".

A 29 de março, o secretário regional dos Transportes, Vítor Fraga, assegurou que o executivo açoriano está “empenhado”, enquanto acionista, em ajudar o grupo SATA a vencer o desafio imposto pela liberalização das ligações aéreas entre algumas ilhas e o resto do país, que entrou em vigor naquele dia.

Vítor Fraga já reagia, nesse dia, a uma "carta aberta" enviada por trabalhadores e sindicatos da SATA ao presidente do executivo regional, onde diziam temer pelo futuro da companhia.

O secretário regional considerou que o novo modelo de transporte aéreo nos Açores traz novas oportunidades e que é nesta perspetiva que a região se deve focar, tendo lembrado que a SATA é a mais antiga companhia aérea do país e que tem vencido ao longo da sua história os desafios com que foi confrontada, como está convicto que irá acontecer de novo, tendo como referência a “experiência e capacidade” dos trabalhadores.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.