Sindicato aponta 30% de docentes em greve nos Açores e executivo fala em 10%

Sindicato aponta 30% de docentes em greve nos Açores e executivo fala em 10%

 

Lusa/AO online   Regional   4 de Jan de 2018, 16:13

O Sindicato Democrático dos Professores dos Açores (SDPA) diz que a greve de docentes na região está hoje, segundo dia de paragem, "acima dos 30%", com o Governo Regional a apontar 10% de professores em greve.

"No dia de hoje a perceção que temos é que os números não são piores que ontem, estão seguramente acima dos 30%", declarou à agência Lusa o presidente do SDPA, José Pedro Gaspar.

Fonte da secretaria regional da Educação e Cultura, por seu turno, diz que existem 10% de docentes em greve, de acordo com os números do final da manhã, percentagem inferior aos 12,2% da manhã de quarta-feira e 13,1% do final do mesmo dia.

Depois de na quarta-feira, primeiro de três dias de greve, algumas dezenas de docentes se terem manifestado nas Portas da Cidade de Porta Delgada, hoje o local de protesto escolhido foram as Portas do Mar, ostentando perto de cem docentes várias tarjas de protesto.

A paragem vai durar até sexta-feira e o SPDA pede ao Governo regional o descongelamento "sem constrangimentos" das carreiras ou a "validação da totalidade de tempo de serviço congelado".

O facto de os três dias de greve se sucederem à pausa de Natal e Ano Novo motivou o secretário regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, a declarar na semana passada que o sindicato confundiu uma greve com um "prolongamento de férias", mesmo reconhecendo que a greve é um "direito inalienável de todos os trabalhadores".

Na resposta, o presidente do SDPA, José Pedro Gaspar acusou o executivo regional de "prolongar a austeridade" para o setor, ao mesmo tempo que "ataca" a imagem dos docentes com declarações "inaceitáveis".

"Aquilo que foi afirmado (...) é ofensivo para a classe docente, visa denegrir a imagem dos professores e educadores de infância que servem o sistema educativo regional, e isso para nós é absolutamente inaceitável", considerou José Pedro Gaspar.

O Governo dos Açores sublinhou já que, a partir deste ano, cerca de 2.000 professores serão abrangidos nos Açores pelas progressões na carreira docente.

O Sindicato dos Professores da Região Açores (SPRA), outra força sindical da classe na região, não convocou greve para os dias em causa.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.