Sharif responsabiliza Musharraf por morte de Benazir Bhutto

Sharif responsabiliza Musharraf por morte de Benazir Bhutto

 

Lusa/AO   Internacional   28 de Dez de 2007, 08:24

O ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, um dos principais líderes da oposição paquistanesa, afirmou hoje que a manutenção da data das eleições legislativas, após o assassínio de Benazir Bhutto, conduziria à destruição do Paquistão.
Sharif, que voltou a pedir a demissão do presidente Pervez Musharraf, deu a entender que o assassínio de Benazir Bhutto é da responsabilidade do líder paquistanês, ao afirmar que o atentado de quinta-feira “prova” que o chefe de Estado não tem “qualquer intenção” de efectuar eleições “livres e equilibradas”.

    “Se o governo continuar a manter a data das eleições de 08 de Janeiro, isso vai levar-nos ao caminho da autodestruição, que não acabará apenas na destruição do governo mas também do próprio país”, disse Nawaz Sharif aos jornalistas.

    O responsável da oposição paquistanesa comentava declarações do primeiro-ministro interino, segundo as quais o governo não tinha para já a intenção de adiar as eleições, acrescentando, contudo, qualquer decisão sobre o assunto seria objecto de consultas aos partidos políticos.

    “Musharraf tem de abandonar o poder, esta é hoje a principal exigência da nação e vejo que as pessoas querem que ele o faça o mais rapidamente possível, sem tardar”, acrescentou.

    “Penso que Musharraf não tem qualquer intenção de realizar eleições livres e equilibradas e o que aconteceu quinta-feira é prova disso”, acusou.

    Tanto Sharif como a assassinada Benazir Bhutto denunciavam há várias semanas o que afirmavam ser uma fraude eleitoral preparada pelos partidários de Musharraf para eternizar o presidente no poder.

    Nawaz Sharif, que lidera o segundo maior partido da oposição, atrás de Bhutto, tinha prometido que iria continuar a luta da ex-primeiro-ministra.

    Benazir Bhutto foi assassinada a tiro quinta-feira no final de um comício eleitoral em Rawalpindi, tendo o assassino feito depois explodir as bombas que transportava, causando a morte a cerca de 20 pessoas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.