Conflito

Seul atribui ataque norte-coreano à sucessão de Kim Jong-Il


 

Lusa/AO online   Internacional   24 de Nov de 2010, 11:20

O Governo de Seul considerou que o ataque norte-coreano de terça-feira à ilha de Yeonpyeong foi um ato calculado para “consolidar” o processo de sucessão do líder Kim Jong-Il a favor do seu filho mais novo.
“Acreditamos que a Coreia do Norte levou a cabo o ataque para consolidar o processo de sucessão no país e demonstrar a liderança de Kim Jong-un”, disse o ministro sul-coreano da Defesa Kim Tae-young.

Kim Jong-Il, de 68 anos, consagrou no final de Setembro como seu sucessor Kim Jong-un, de 27 anos, ao nomeá-lo para a cúpula do poder de Pyonyang.

Segundo o ministro sul-coreano, o ataque de terça-feira que provocou a morte a dois militares, foi intencional depois terem sido reveladas informações sobre o programa de enriquecimento de urânio da Coreia do Norte.

A situação gerou alarmismo dos países que integram o grupo de diálogo com a Coreia do Norte – Coreia do Sul, Japão, Rússia, China e Estados Unidos -, cujas reuniões estão suspensas desde Dezembro de 2008 e cujas possibilidades de serem retomadas sofreram novo retrocesso com este ataque.

O exército sul-coreano e as tropas norte-americanas estacionadas na Coreia do Sul continuam em alerta máximo e o ministério sul-coreano dos Negócios Estrangeiros convocou para hoje todos os embaixadores estrangeiros em Seul para lhes expor a situação e angariar apoios para qualquer resposta de Seul contra Pyonyang.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.